Ucrânia. Exército acusa Bielorrússia de bombardear a região fronteiriça de Chernigiv

A Bielorrússia, aliado diplomático de Moscovo, bombardeou a região fronteiriça de Chernigiv, na Ucrânia, a nordeste de Kiev, disse este sábado o Exército ucraniano, acrescentando que o ataque não causou vítimas e afetou uma infraestrutura.

“Por volta das 05:00 [02:00 em Lisboa], a região de Chernigiv sofreu um bombardeio maciço de mísseis. Vinte ‘rockets’ atingiram a vila de Desna, disparados do território da Bielorrússia”, informou o Comando Norte das tropas ucranianas, numa publicação na rede social Facebook, acrescentando que “não houve vítimas” nesta fase e apenas “uma infraestrutura foi afetada”, sem indicar se se trata de uma instalação militar ou não.

Segundo a agência de notícias France-Presse, Kiev acusou a Rússia de estar a “arrastar” Minsk para a guerra.

“O ataque de hoje está diretamente ligado aos esforços do Kremlin para atrair a Bielorrússia para a guerra na Ucrânia como cobeligerante”, disse a Diretoria-Geral de Inteligência da Ucrânia, ligada ao Ministério da Defesa, na rede social Telegram.

Desna, uma pequena vila de 7.500 habitantes antes da guerra, está localizada a 70 quilómetros a norte de Kiev e à mesma distância ao sul da fronteira com a Bielorrússia.

O ataque ocorre numa altura em que o Presidente russo, Vladimir Putin, e o seu homólogo bielorrusso, Alexander Lukashenko, se encontram, hoje, em São Petersburgo, na Rússia, antes de uma visita à Bielorrússia, marcada para quinta e sexta-feira, pelo chefe da diplomacia russa, Sergei Lavrov.

Apesar de não ser beligerante no conflito com a Ucrânia, até ao momento, a Bielorrússia serviu de apoio logístico às tropas de Moscovo, especialmente nas primeiras semanas da ofensiva russa.

O país liderado por Lukashenko, desde 1994, tem sido, desde então, alvo de sanções ocidentais, também aplicadas contra a Rússia.

Recomendadas

Ucrânia: Recrutamento de voluntários para a frente de batalha já chegou às prisões russas

Homens com farda militar visitaram uma prisão em São Petersburgo, onde ofereceram amnistia em troca da integração dos prisioneiros nas forças russas.

Ucrânia. Conferência de doadores garante mais 1.500 milhões para equipamento e treino militar

A conferência internacional de doadores que reuniu 26 países em Copenhaga permitiu arrecadar 1.500 milhões de euros em equipamento e treino para as tropas ucranianas, divulgou esta quinta-feira o ministro da Defesa dinamarquês.

Primeiro navio com cereais ucranianos chega à Turquia e espera comprador (com áudio)

O primeiro navio carregado de milho que deixou o porto ucraniano de Odessa, no Mar Negro, rumo ao Líbano, atracou no porto turco de Mersin e aguarda um comprador para a mercadoria, confirmou fonte diplomática da Ucrânia.
Comentários