Ucrânia: Missão da AIEA à central nuclear de Zaporijia “está a caminho” (com áudio)

Segundo Zelensky, a Rússia está a usar a fábrica como “provocação”, com os bombardeamentos e o envio de “terroristas” para a zona, ameaçando assim toda a Europa e outras regiões vizinhas.

O diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA), Rafael Grossi, disse hoje que “está a caminho” a tão esperada missão de especialistas do órgão de vigilância da ONU à central nuclear de Zaporijia, na Ucrânia.

“Chegou o dia”, escreveu Rafael Grossi na rede social Twitter, acrescentando que a “missão de apoio e assistência da AIEA, com sede em Viena, está agora a caminho”.

“Devemos proteger a segurança da maior instalação nuclear da Ucrânia e da Europa”. “Orgulhoso de liderar esta missão que estará no ZNPP (central nuclear de Zaporijia, na sigla em inglês) no final desta semana”, disse Grossi, sem dar mais pormenores.

A situação nas proximidades da central foi um motivo de preocupação internacional nas últimas semanas, depois dos recentes bombardeamentos nas imediações, sobre os quais Moscovo e Kiev se acusam mutuamente, e que suscitaram alarmes sobre um possível acidente nuclear.

Na quarta-feira, quando passaram seis meses desde o início da invasão russa, o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, acusou a Rússia no Conselho de Segurança da ONU de “deixar o mundo à beira de uma catástrofe radioativa”, transformando a fábrica de Zaporijia, que está sob o controlo das forças russas desde 4 de março, “numa zona de combate”.

Segundo Zelensky, a Rússia está a usar a fábrica como “provocação”, com os bombardeamentos e o envio de “terroristas” para a zona, ameaçando assim toda a Europa e outras regiões vizinhas.

O líder ucraniano apoiou o envio de uma missão da AIEA a Zaporijia e solicitou que a agência assumisse o “controlo permanente” das instalações.

A ofensiva militar lançada a 24 de fevereiro pela Rússia na Ucrânia causou já a fuga de quase 13 milhões de pessoas – mais de seis milhões de deslocados internos e quase sete milhões para os países vizinhos -, de acordo com os mais recentes dados da ONU, que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Recomendadas

Respostas Rápidas. Pipelines que transportam gás russo foram sabotados? Por quem?

O que se sabe até agora da sabotagem a dois gasodutos que transportam gás russo via mar Báltico para a Alemanha?

Revista de imprensa internacional: as notícias que estão a marcar a atualidade global

Kamala Harris vai visitar a fronteira entre Coreia do Norte e Coreia do Sul; Zelensky garante: “Vamos defender as pessoas nas regiões ocupadas; EUA com acesso a mais de 8 mil milhões para acabar com a fome

Ucrânia. UE considera “ilegais” referendos de anexação organizados por Moscovo (com áudio)

O chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell, disse hoje que os “referendos” de anexação organizados por Moscovo nas regiões ucranianas foram “ilegais” e os resultados “manipulados”.
Comentários