Ucrânia. Portugal aceitou mais de 33 mil pedidos de proteção temporária

Portugal já aceitou 33.106 pedidos de proteção temporária de cidadãos ucranianos e estrangeiros que viviam na Ucrânia desde o início do conflito no país, divulgou esta segunda-feira, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

“O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) atribuiu, desde o início do conflito na Ucrânia, 33.106 proteções temporárias a cidadãos ucranianos e a cidadãos estrangeiros que residiam naquele país. Destes, 22.208 são mulheres e 10.898 são homens”, pode ler-se numa nota do SEF.

De acordo com a nota, os municípios que registam mais pedidos de proteção temporária “continuam a ser Lisboa, Cascais, Sintra [todos no distrito de Lisboa], Porto e Albufeira [distrito de Faro]”.

Relativamente a certificados de autorização de residência ao abrigo do regime de proteção temporária, “contendo números de utente de saúde, de segurança social e de identificação fiscal atribuídos pelas respetivas entidades, o SEF já emitiu 24.764”.

Os menores representam 11.410 do total de 33.106 proteções temporárias concedidas, dividindo-se entre acompanhados e não acompanhados.

“Desde o início do conflito, o SEF já comunicou ao MP [Ministério Público] 526 menores que se apresentaram na presença de outra pessoa que não o seu progenitor ou representante legal comprovado, sem perigo atual ou iminente”, adianta.

Jà à Comissão de Proteção de Crianças e Jovens foram comunicados “15 menores não acompanhados e/ou na presença de outra pessoa que não o seu progenitor ou representante legal comprovado, em perigo atual ou iminente”, detalha a nota de hoje.

O SEF tem uma plataforma ‘online’, em três línguas, para pedidos de proteção temporária por residentes ucranianos, disponível em https://sefforukraine.sef.pt.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que já matou mais de dois mil civis, segundo dados da ONU, que alerta para a probabilidade de o número real ser muito maior.

A guerra causou já a fuga de mais de 12 milhões de pessoas, das quais mais de 5,16 milhões para fora do país, de acordo com os mais recentes dados da ONU – a pior crise de refugiados na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Recomendadas

Ucrânia: Macron e Scholz pedem a Putin libertação de 2.500 militares de Azovstal

O presidente francês, Emmanuel Macron, e o chanceler alemão, Olaf Scholz, pediram este sábado ao presidente russo Vladimir Putin para libertar 2.500 combatentes ucranianos que estavam na fábrica de aço Azovstal, em Mariupol, e foram feitos prisioneiros pelos russos.

Europa devia olhar para África para reduzir dependência do gás russo

“A Europa na minha opinião devia olhar para áfrica. A África tem imenso gás”, disse o presidente do Banco Africano de Desenvolvimento.

Rússia testa míssil hipersónico que Putin considera “invencível”

O míssil Zircon foi disparado da fragata Almirante Gorshkov no Mar de Barents contra um alvo nas águas árticas do Mar Branco, segundo informações avançadas pelo Ministério da Defesa russo num comunicado citado pela agência de notícias France Presse (AFP).
Comentários