Ucrânia: Portugal vai enviar mais 14 viaturas blindadas e oito geradores elétricos

“Portugal vai enviar para a Ucrânia um segundo conjunto de 14 viaturas blindadas de transporte de pessoal M113, oito geradores de grande capacidade para produção de energia elétrica, mais munições de 120mm e mais duas toneladas de equipamento médico e sanitário”, lê-se num comunicado do Ministério da Defesa, divulgado após uma reunião do Grupo de Contacto para a Defesa da Ucrânia, que decorreu hoje em Ramstein, na Alemanha.

Portugal vai enviar mais 14 viaturas blindadas M113 e oito geradores elétricos de elevada capacidade para a Ucrânia, elevando “para 532 toneladas o total de equipamento militar, letal e não letal” fornecido ao país, anunciou hoje a ministra da Defesa.

“Portugal vai enviar para a Ucrânia um segundo conjunto de 14 viaturas blindadas de transporte de pessoal M113, oito geradores de grande capacidade para produção de energia elétrica, mais munições de 120mm e mais duas toneladas de equipamento médico e sanitário”, lê-se num comunicado do Ministério da Defesa, divulgado após uma reunião do Grupo de Contacto para a Defesa da Ucrânia, que decorreu hoje em Ramstein, na Alemanha.

O ministério refere que, “com este material, que se encontra em preparação para envio, eleva-se para 532 toneladas o total de equipamento militar, letal e não letal, fornecido por Portugal à Ucrânia desde o início da agressão levada a cabo pela Rússia”.

Recomendadas

Ucrânia: Scholz apela à confiança dos alemães na decisão de enviar tanques

“Confie no Governo, confie também em mim! Tomamos decisões que são sempre consideradas e coordenadas a nível internacional”, disse, referindo-se à decisão anunciada esta semana.

Borrell apela à África do Sul para usar boas relações com Rússia para o fim da guerra

“Estamos cientes da política de não-alinhamento da África do Sul. É por isso que a UE não está a pedir à África do Sul que escolha um lado. Pedimos-lhe simplesmente que cumpra a Carta das Nações Unidas. Nada mais. Mas também nada menos que isso”, disse Borrell numa conferência de imprensa conjunta, em Pretória, com a ministra das Relações e Cooperação Internacionais sul-africana, Naledi Pandor.

Ucrânia. EUA respeitam posição de Moçambique, mas rejeitam neutralidade

“Não podemos ser neutros quando há um país que ataca outro, em particular quando esse país é membro do Conselho de Segurança da ONU”, referiu, numa alusão à Rússia.
Comentários