Ucrânia: Primeiro navio da ONU com cereais pronto para partir

Um primeiro navio humanitário fretado pela ONU para transportar cereais ucranianos foi carregado este domingo com 23 mil toneladas de trigo e está pronto a sair para o mar.

Presente no porto de Pivdenny, na cidade de Yuzhne, para assistir ao carregamento, o ministro Oleksandre Koubrakov indicou que “o navio seguirá para África, sendo a Etiópia o último país onde a carga de 23 mil toneladas de trigo será entregue”.

“Espero que outros navios fretados para o Programa Alimentar Mundial (PAM) cheguem aos nossos portos. Espero que haja mais dois ou três navios em breve”, afirmou.

No Twitter, o ministro disse mais tarde que o carregamento estava feito e que o navio partiria sem breve, sem indicar uma data.

O navio Brave Commander atracou na sexta-feira no porto de Pivdenny, perto de Odessa. Segundo o Ministério das Infraestruturas da Ucrânia, partirá para Djibuti, de onde a carga seguirá para a Etiópia.

Este é o primeiro carregamento de ajuda alimentar a deixar a Ucrânia desde que foi assinado em julho, por Kiev e Moscovo, com mediação da Turquia e sob a égide da Organização das Nações Unidas (ONU), um acordo para a exportação de cereais ucranianos, bloqueada após a ofensiva russa na Ucrânia.

“Prevemos, evidentemente, que mais navios deixem os portos ucranianos para dar ajuda às pessoas no mundo inteiro. Este é apenas o primeiro de muitos navios humanitários que deixarão os portos”, declarou aos jornalistas Marianne Ward, diretora-adjunta de operações do PAM na Ucrânia.

O primeiro navio comercial partiu no dia 01 de agosto e no total 16 navios já deixaram a Ucrânia desde a entrada em vigor do acordo, de acordo com as autoridades ucranianas, sendo este o primeiro carregamento humanitário da ONU.

A Ucrânia e a Rússia estão entre os maiores exportadores mundiais de cereais, que têm registado uma subida de preços desde o início da guerra.

Segundo o PAM, um número recorde de 345 milhões de pessoas em 82 países enfrentam atualmente uma insegurança alimentar aguda, enquanto até 50 milhões de pessoas em 45 países correm o risco de fome sem ajuda humanitária.

Recomendadas

Kyiv condena “detenção ilegal” do diretor geral da central de Zaporíjia

A Ucrânia condenou este sábado a “detenção ilegal” do diretor geral da central nuclear da Zaporijia, Ihor Mourachov, que foi preso na sexta-feira pela Rússia, que controla o local.

Ucrânia: Banco Mundial concede mais 540 milhões de euros a Kiev

O Banco Mundial anunciou que irá conceder um apoio adicional no valor de 530 milhões de dólares (540,6 milhões de euros) para permitir à Ucrânia “responder às necessidades urgentes causadas pela invasão russa”.

Ucrânia: Biden diz que aliados da NATO não serão “intimidados” por Putin

O Presidente norte-americano, Joe Biden, afirmou hoje que os Estados Unidos e seus aliados não se deixarão “intimidar” pelo seu homólogo russo Vladimir Putin, e prometeu que a NATO defenderá “cada centímetro” do seu território.
Comentários