Ucrânia: Putin sublinha opção “inequívoca” da população após referendos

O Presidente russo, Vladimir Putin, sublinhou hoje que os habitantes das regiões ucranianas de Donetsk, Lugansk, Zaporijia e Kherson efetuaram uma opção “inequívoca” para se unirem à Rússia e assegurou que serão protegidos por “todos os meios necessários”.

“É uma decisão inequívoca”, disse Putin num discurso prévio à assinatura dos tratados de anexação com quatro províncias ucranianas na Sala de São Jorge no Grande Palácio do Kremlin, e após os referendos denunciados por Kiev e pelos países ocidentais.

“Os habitantes de Lugansk e Donetsk, Kherson e Zaporijia vão tornar-se cidadãos russos para sempre”, garantiu o Presidente perante a elite política do país. “As pessoas votaram pelo nosso futuro comum”, acrescentou Putin, que também exortou a Ucrânia a “terminar imediatamente as hostilidades”.

“Apelamos ao regime de Kiev para um cessar-fogo imediato, para que termine todas as hostilidades e regresse à mesa das negociações”, indicou no discurso perante o Governo, os deputados e senadores, e outros representantes do Estado russo.

Recomendadas

União Europeia paga transporte de cereais ucranianos para países vulneráveis

A iniciativa pretende fornecer cereais gratuitos a pelo menos cinco milhões de pessoas, em países como o Sudão, o Iémen, o Quénia e a Nigéria até ao final da primavera de 2023.

Polónia acusa Rússia de provocar nova “fome artificial”

Vários líderes europeus viajaram este sábado até Kiev para assinalar o “Holodomor”, a fome causada por Estaline há 90 anos na Ucrânia.

NATO destaca “início horrível do inverno” na Ucrânia e promete ajuda

O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO), Jens Stoltenberg, admitiu hoje o “início horrível do inverno” na Ucrânia devido à escalada de ataques russos, prometendo apoio às autoridades ucranianas “o tempo que for necessário”.
Comentários