Ucrânia: Rússia denuncia novo ataque a posto fronteiriço em Kursk

O governador de Kursk, Román Starovoit, assinalou na sua conta de Telegram que, cerca das 13h30 (hora de Lisboa), “foram lançados vários morteiros desde território ucraniano contra o posto fronteiriço de Krupets”.

Um posto fronteiriço na região de Kursk, sudoeste da Rússia, foi hoje alvo de novos ataques com morteiros a partir de território ucraniano, disseram as autoridades russas, citadas pela agência noticiosa espanhola EFE.

O governador de Kursk, Román Starovoit, assinalou na sua conta de Telegram que, cerca das 13h30 (hora de Lisboa), “foram lançados vários morteiros desde território ucraniano contra o posto fronteiriço de Krupets”.

O ataque foi repelido pelos guardas fronteiriços e pelo exército russo, adiantaram as mesmas fontes.

Não houve vítimas ou danos materiais a registar, acrescentou o governador local.

Nos últimos dias, Román Sarovoit denunciou a ocorrência de vários ataques alegadamente cometidos pela Ucrânia contra postos fronteiriços na região.

A região de Kursk faz fronteira com a região ucraniana de Sumy, palco de intensos combates.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que já matou cerca de três mil civis, segundo a ONU, que alerta para a probabilidade de o número real ser muito maior.

A ofensiva militar causou a fuga de mais de 12 milhões de pessoas, das quais mais de 5,4 milhões para fora do país, de acordo com os mais recentes dados da ONU.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

Recomendadas

Ucrânia: Macron e Scholz pedem a Putin libertação de 2.500 militares de Azovstal

O presidente francês, Emmanuel Macron, e o chanceler alemão, Olaf Scholz, pediram este sábado ao presidente russo Vladimir Putin para libertar 2.500 combatentes ucranianos que estavam na fábrica de aço Azovstal, em Mariupol, e foram feitos prisioneiros pelos russos.

Europa devia olhar para África para reduzir dependência do gás russo

“A Europa na minha opinião devia olhar para áfrica. A África tem imenso gás”, disse o presidente do Banco Africano de Desenvolvimento.

Rússia testa míssil hipersónico que Putin considera “invencível”

O míssil Zircon foi disparado da fragata Almirante Gorshkov no Mar de Barents contra um alvo nas águas árticas do Mar Branco, segundo informações avançadas pelo Ministério da Defesa russo num comunicado citado pela agência de notícias France Presse (AFP).
Comentários