UE aprova proibição de palhinhas e outros plásticos até 2021

A proibição formal do uso de palhinhas, varas de balões e cotonetes foi aprovada esta terça-feira.

A União Europeia (UE) aprovou, esta terça-feira, formalmente a proibição até 2021 do uso de determinados produtos de plástico de utilização única, como as palhinhas, varas de balões e cotonetes.

De acordo com as novas regras aprovadas pelo Conselho da UE, os pratos, os talheres, as palhas, as varas para balões e os cotonetes feitos de plástico de utilização única serão proibidos até 2021.

A diretiva (lei europeia) relativa aos plásticos de utilização única assenta na legislação da UE em matéria de resíduos atualmente em vigor, mas, segundo um comunicado do Conselho, vai mais além ao estabelecer normas mais rigorosas para os tipos de produtos e embalagens que se encontram entre os dez principais elementos poluentes encontrados nas praias europeias.

Relacionadas

Nestlé eliminou mais de 300 milhões de pacotes de açúcar da mesa dos portugueses em quatro anos

A empresa suíça registou vendas totais de 500 milhões de euros em Portugal. “Estamos a fazer investimentos importantes na área da nutrição infantil, bebidas, nomeadamente com o café torrado da marca Starbucks a ser produzido na fábrica Porto”, disse Paolo Fagnoni, diretor-geral da Nestlé Portugal.

Sustentabilidade: Produtos que foram criados para tirarem o plástico da equação

A luta para substituir um material que não é biodegradável e deixa uma pegada ambiental cada vez mais pesada está a ser travada por muitos consumidores, mas também por algumas empresas criadas para ajudara alterar mentalidades. Começam a aparecer em Portugal alternativas sustentáveis para mudar hábitos de consumo, um produto de cada vez.

Empresas portuguesas ‘declaram guerra’ ao plástico

“Precisamos de viver de forma responsável perante o plástico e isso passa por melhorar e intensificar a informação juntos dos consumidores”. A afirmação é de Vitor Martins da Sonae, que garante que não são só os produtores os grandes responsáveis.
Recomendadas

PremiumEólicas avançam para tribunal contra cortes de João Galamba (com áudio)

Despacho de Galamba procedeu a mudanças nas contas do famoso decreto-lei 35/2013, aprovado pelo Governo Passos Coelho. Quatro empresas decidiram recorrer à justiça para travar decisão do Governo.

Energia. Ramada alerta para “possibilidade do fecho temporário de siderurgias” no inverno

O grupo Ramada, com atividade na indústria do aço, alertou para a “possibilidade de fecho temporário de siderurgias” no inverno devido aos preços de energia ou de ser decretado o encerramento de empresas de alto consumo.

Proposta de teto na bolsa europeia de gás “não serve para Portugal”, diz Galamba

O Governo defendeu hoje que a proposta da Comissão Europeia sobre mecanismo de último recurso para teto aos preços na principal bolsa europeia de gás natural “não serve para Portugal” da forma como está delineada por “misturar” assuntos.
Comentários