UE chega a acordo para proibir produtos como cotonetes e palhinhas de plástico

A União Europeia irá proibir, a partir de 2021, a utilização de produtos que representam 70% dos detritos que poluem oceanos e praias. Cotonetes, palhinhas e talheres de plástico estão entre eles.

A União Europeia (UE) chegou esta quarta-feira de madrugada a um acordo para a futura proibição a partir de 2021 de alguns plásticos de utilização única como cotonetes, palhinhas e talheres de plásticopara reduzir a poluição marítima.

“O lixo marítimo é um problema global cada vez maior”, segundo um comunicado do Conselho de Ministros do Ambiente da UE, que esta noiteem Bruxelas chegou a um acordo com o Parlamento Europeu sobre a restrição do uso de plásticos. Segundo um comunicado, se nada for feito, em 2050 haverá mais plásticos do que peixes no mar.

O acordo esta quarta-feira alcançado necessita ainda de ser formalmente ratificado pelos Estados-membros e pelo Parlamento Europeu (PE), esperando-se que o processo esteja concluído até à primavera de 2019 e possa entrar em vigor em 2021. A proposta apresentada pela Comissão Europeia em maio prevê a proibição de categorias de produtos que representam 70% dos detritos que poluem oceanos e praias.
Em outubro, o PE aprovou a proposta de Bruxelas, estipulando que em relação a outros produtos de plástico de utilização única, os Estados-membros devem tomar as medidas necessárias para obter uma redução ambiciosa e sustentada de pelo menos 25% até 2025. Nesta categoria incluem-se caixas para hambúrgueres, sanduíches e saladas, bem como recipientes para frutos, legumes, sobremesas ou gelados.

Os 28 terão ainda de assegurar a recolha seletiva e a subsequente reciclagem de pelo menos 90% das garrafas de plástico descartáveis até 2025

Relacionadas

Reciclagem: estamos bem no ‘amarelo’ mas deixamos muito a desejar no ‘azul’ e no ‘verde’

Uma taxa de 85% de embalagens de papel e cartão foram recicladas na UE, com Portugal a mostrar um desempenho de 70%, o pior entre os países sobre os quais o Eurostat tem informação.

Este é o primeiro supermercado livre de plásticos do mundo

O supermercado londrino demorou 10 semanas a remover o plástico de embalagens de mais 1.700 mil produtos.

Como lidar com o plástico, ser amigo do ambiente e poupar na carteira

A reciclagem de plástico é uma das principais preocupações de governos e ambientalistas. Os consumidores podem fazer a sua parte e pouparem dinheiro.
Recomendadas

Furacão Ian. Autoridades dos EUA esperam consequências “catastróficas”

O Estado norte-americano da Florida prepara-se hoje para a chegada do furacão Ian, que devastou o oeste de Cuba e que está “a intensificar-se rapidamente”, podendo ter consequências “catastróficas”, segundo os serviços meteorológicos locais.

Alterações climáticas. Terra aproxima-se do ‘ponto sem retorno’, diz primatologista Jane Goodall

“Sabemos o que devemos fazer. Quero dizer, temos as ferramentas. Mas deparamo-nos com o pensamento de curto prazo de ganho económico versus a proteção de longo prazo do meio ambiente para assegurar um futuro”, indicou a cientista que ficou conhecida pelo seu estudo pioneiro de seis décadas sobre chimpanzés na Tanzânia.

Ativistas aumentam pressão sobre governos para intensificarem esforços de ação climática

Até ao momento, mais de 80 processos judiciais foram iniciados em todo o mundo para “obrigar” os governos a intensificarem os esforços.
Comentários