UE. Maioria dos alunos estuda pelo menos uma língua estrangeira

Mais de 80% das crianças que frequentam os primeiros anos do ensino obrigatório (o equivalente aos primeiro e segundo ciclos em Portugal) na União Europeia estudavam pelo menos uma língua estrangeira. Os dados divulgados esta manhã pelo Eurostat reportam a 2013. O inglês domina entre todas as outras línguas. No dia Europeu das línguas, o […]

Mais de 80% das crianças que frequentam os primeiros anos do ensino obrigatório (o equivalente aos primeiro e segundo ciclos em Portugal) na União Europeia estudavam pelo menos uma língua estrangeira. Os dados divulgados esta manhã pelo Eurostat reportam a 2013. O inglês domina entre todas as outras línguas.

No dia Europeu das línguas, o gabinete de estatísticas da União Europeia revela que no ensino de nível primário cerca de 17,7 milhões de crianças (81,7% dos alunos que frequentam os seis primeiros anos de escolaridade obrigatória) estudam pelo menos. Cerca de um milhão (4,6%) estuda duas ou mais línguas estrangeiras.

Nos primeiro e segundo ciclos, o inglês é, de longe, a língua mais popular, sendo estudada por 16,7 milhões de alunos.

Ensino de Línguas estrangeiras na União Europeia

No nível de entrada do ensino secundário (crianças com entre 11 e 15 anos consoante o sistema nacional de educação), 17,1 milhões de alunos na UE estudam inglês como língua estrangeira, cerca de 95,6% dos alunos deste nível.

O francês (4,9 milhões ou 27,4%) surge em segundo lugar, seguido do alemão (2,9 milhões ou 16,3%), espanhol (2,1 milhões ou 11,6%), russo (0,5 milhões ou 2,7%) e italiano (0,2 milhões ou 1,0%).

estudo da língua na UE

No âmbito do dia Europeu das Línguas, celebrado anualmente a 26 de setembro, o Eurostat recorda que há 24 línguas oficiais reconhecidas na União Europeia. Acrescem ainda línguas regionais, minoritárias e faladas pelas populações migrantes. Alguns dos Estados-membros têm mais de uma língua oficial.

A classificação de Portugal deixa a desejar. Enquanto quase todos os alunos do ensino primário frequentavam aulas de línguas estrangeiras no Chipre, no Luxemburgo, em Malta e na Áustria. Em Portugal, menos de metade dos alunos deste nível estudavam alguma língua estrangeira: 35,2%. Bélgica (38,1%) e Eslovénia (49,8%) são outros países com comportamentos abaixo da média europeia: 81,7%. Assinale-se no entanto que o inglês passou a integrar este ano, 2015, o currículo obrigatório já no 3.º ano do primeiro ciclo em Portugal.

O inglês, obrigatório em vários países, era estudado, em 2013, pela esmagadora maioria das crianças e jovens no nível secundário inicial (entre 11 e 15 anos) em praticamente todos os Estados-membros. O francês era a segunda língua mais popular neste nível de ensino. Em Portugal era estudada por 63,3% dos alunos.

O alemão é a terceira língua mais popular na UE, neste nível de ensino.

OJE

Recomendadas

Primeira-ministra da Finlândia lamenta atrasos na ratificação da entrada do país e da Suécia na NATO

“O processo está a demorar mais do que gostaríamos. Já deveríamos ter sido aceites e o processo de ratificação deveria estar concluído”, disse Sanna Marin numa entrevista na rádio pública finlandesa, citada pela agência EFE.

Pelo menos 11 mortos em deslizamento de terras nos Camarões

De acordo com a agência France-Presse (AFP), ao início da noite, quatro corpos, cobertos por lençóis brancos, foram retirados pela polícia no bairro de Damas, na periferia de Iaundé. No local, relata um jornalista da AFP, estavam hoje à noite centenas de moradores em pânico, à procura de familiares e amigos, e equipas de resgate a tentar chegar ao local do acidente.

Cabo Verde quer reforçar combate à pobreza com aumento de 25% da taxa turística

Governo liderado por Ulisses Correia e Silva prevê arrecadar 8,6 milhões de euros com o aumento da taxa, que serão canalizados para o fundo de financiamento Programa Mais, Mobilização pela Aceleração da Inclusão Social, concebido para apoiar projetos de combate à pobreza extrema e exclusão social, segundo a Forbes África Lusófona.