UE tem 1,35 milhões de euros para financiar soluções tecnológicas para as áreas agroalimentar, florestal e ambiental

O DIVA é o projeto europeu que vai financiar PME que apresentem soluções tecnológicas nas áreas do agrofood, floresta e ambiente. As candidaturas terão ser feitas até ao dia 1 de fevereiro de 2019.

agroalimentar
agroalimentar

As PME portuguesas que tenham soluções inovadoras nas áreas do agrofood, floresta e ambiente podem candidatar-se ao financiamento do DIVA, o projeto europeu que tem 1,35 milhões para apoiar estas empresas. Além das PME portuguesas, o projeto abrange ainda empresas jovens e startups de Espanha, França, Grécia, Itália e Irlanda.

O projeto DIVA, financiado pelo programa de investigação e inovação da União Europeia, o H2020,  tem por objetivo dar apoio ao desenvolvimento de novas cadeias de valor digitais com aplicações nos setores agroalimentar, florestal e ambiental. Em Portugal, o DIVA é liderado pelo Centro para a Inovação, Tecnologia e Empreendedorismo do INESC TEC e pela INOVISA.

As candidaturas deverão ser feitas aqui até ao dia 1 de fevereiro de 2019 e os projetos poderão apresentados poderão individuais ou apresentados em consórcio, sendo que necessitam ser liderados por uma empresa.

Para Sara Neves, investigadora do INESC TEC, salientou que “o foco está em apoiar o desenvolvimento de novas tecnologias, big datacloud computing, robótica, inteligência artificial, sistemas ciberfísicos, internet das coisas e componentes digitais/eletrónicos e fotónicos, plataformas digitais, porque trazem novas perspectivas de inovação à indústria agrofood, floresta e ambiente”.

Segundo o comunicado divulgado esta terça-feira, serão lançadas duas convocatórias com um orçamento de cerca de três milhões de euros para financiar o desenvolvimento de novos produtos e serviços, através de quatro tipologias de vales de inovação que podem ir até aos aos 60 mil euros.

Assim, o projeto DIVA dispõe de vales de até 10 mil euros para as áreas de coaching mentoring, para financiar serviços de consultoria e assistência técnica especializada. O mesmo montante está disponível para vertente de maturação, cujo vale está canalizado para financiar o amadurecimento tecnológico da PME através de assistência técnica especializada. Para uma terceira categoria, estão previstos vales com valor entre 25 mil a 60 mil euros, destinados a financiar a demonstração de soluções inovadoras em ambiente real ou em condições “quase reais”. De resto, o projeto DIVA tem vales até 30 mil euros para a internacionalização, para financiar serviços de consultoria e assistência técnica, bem como a participação em feiras e eventos internacionais.

 

 

Recomendadas

Empresas reafirmam investimento contra riscos cibernéticos

A cibersegurança é uma prioridade para as empresas. O reforço do investimento na proteção de contra ataques mantém-se apesar da conjuntura atual marcada pela subida dos custos. 

Equinix cria fundo solidário de 50 milhões para promover a inclusão digital

A empresa de tecnologia norte-americana criou uma nova estrutura de apoio educativo. O conselho de administração da fundação irá, todos os anos, determinar o montante de doações da fundação, de modo a cobrir a concessão de contribuições ou a correspondência com as ofertas dos colaboradores.

Tecnológica portuguesa Innowave compra Cycloid

Desde 2018 que o grupo tem uma forte estratégia de M&A. “Esta aquisição é mais um passo na nossa estratégia de crescimento, materializada também na criação de centros de competência em Portugal, como é o caso de Lisboa, Porto, Coimbra, Faro e Beja”, afirmou o CEO da Innowave, Tiago Gonçalves.
Comentários