Um currículo ensinado em mais de mil escolas em todo o mundo

Desde aprender a definir prioridades e gerir o tempo, a preparar para o programa DP, passando pelo serviço comunitário na Índia, o MYP é uma estrutura curricular fundamental.

Numa altura em que tanto se diz que “não há planeta B”, não será demais realçar que há 25 anos que o programa MYP – Middle Years Program já reflete sobre a importância de zelar pelo planeta. Esta ferramenta que pretende promover os conceitos de entendimento multicultural, comunicação e abordagem holística do conhecimento já é usada em 1.266 escolas IB em 108 países, das quais nove em Portugal.

O MYP, programa curricular do International Baccalaureate (IB), destina-se a alunos entre os 11 e os 16 anos e além da responsabilidade ambiental, está vocacionado para a formação de jovens enquanto seres criativos, com sentido crítico e capazes de transpor os conhecimentos adquiridos para situações da vida real. “O MYP proporciona uma boa base e as ferramentas que é suposto dominarmos ao entrarmos para o nível seguinte, o DP”, afirma Eddie Bannayan, da Amman Baccalaureate School, Jordânia, ao site da International Baccalaureate Organization a propósito da efeméride.

Por ocasião do 25º aniversário do MYP, a IBO falou com antigos alunos e atuais professores, que realçaram as mais-valias do programa.

Prkriti Tandon explica que aprendeu a gerir o tempo e a definir prioridades. “Além dos estudos, participava em várias atividades que exigiam tempo e energia, por isso era fundamental manter um bom equilíbrio entre o tempo que dedicava ao estudo e o tempo que tinha para mim”, diz a aluna da Qatar Academy de Doha, que concluiu o MYP no ano letivo passado e que agora frequenta o Diploma Program (DP)

A Dwight School London oferece o MYP há 15 anos e tem a particularidade de ter experimentado dois currículos antes de escolher o caminho atual. “No início, oferecemos o MYP em simultâneo com o currículo do Reino Unido, mas depois optámos pelo estilo de ensino IB, que nos pareceu mais completo e universalista”, explica Julia Watson, coordenadora do MYP e vice-diretora daquela escola britânica.

De Londres para Hyderabad, na Índia, o que também falou mais alto foi, precisamente, a filosofia IB. Para Geoffrey Fisher, diretor da Aga Khan Academy, a somar ao programa de estudos, a principal mais-valia do programa é o serviço comunitário que todos os alunos devem fazer, e que lhes permite interagir com a comunidade local e vislumbrar a realidade.
Na hierarquia do International Baccalaureate, o MYP segue-se ao PYP – Primary Years Programme e antecede o DP – Diploma Programme e o Career-related Programme, o mais recente programa vocacionado para a orientação profissional.

Recomendadas

Três praias de Oeiras interditadas a banhos

As praias de Caxias, Santo Amaro de Oeiras e Paço de Arcos foram interditadas a banhos, desde sexta-feira, depois das análises à qualidade da água revelarem valores microbiológicos acima dos parâmetros de referência, revelou hoje a Autoridade Marítima Nacional.

António Almeida-Dias: “Ao contrário do ensino superior estatal, não pedimos dinheiro ao Governo”

Presidente da APESP defende que Portugal tem muito a ganhar com um ensino superior privado que usufrua da autonomia e liberdade consagradas na Constituição e que o Estado limita. O setor privado da economia já demonstrou ser o motor da inovação e do progresso, diz.

IPLeiria constrói cinco residências e renova sete num investimento de 25 milhões do PRR

Com este investimento, o Politécnico vai assegurar residências de estudantes em todas as cidades onde conta com oferta formativa, nomeadamente em Leiria, Caldas da Rainha, Peniche, Marinha Grande, Pombal e Torres Vedras.
Comentários