PremiumUm em cada três deputados não irá regressar em 2022

Grande renovação das bancadas do PS e PSD, conflito entre o grupo parlamentar e a direção do CDS-PP e previsível redução do número de eleitos à esquerda elevam saídas a mais de sete dezenas. Novidades são sobretudo à direta.

O número exato é incerto, pois depende dos resultados a 30 de janeiro de 2022, e muito em particular do partido ou partidos que sejam chamados a formar governo, mas tudo indica que um terço dos atuais 230 deputados não fiquem na Assembleia da República na próxima legislatura, com o PS e o PSDa equivalerem-se nas saídas.

Um dos sinais de que tanto o grupo parlamentar do PS como o do PSD verão partir cerca de três dezenas de parlamentares reside na Comissão de Assuntos Constitucionais, que ficará sem o atual presidente, o social-democrata Marques Guedes, e o vice-presidente socialista José Magalhães – eleito desde a terceira legislatura, nos anos 80, quando era militante do PCP -, restando apenas o outro vice-presidente, José Manuel Pureza, que só não será reeleito enquanto cabeça de lista por Coimbra num cenário de descalabro eleitoral que algumas sondagens apontam ao Bloco de Esquerda.

 

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumEUA dão segundo maior contributo nas exportações portuguesas à boleia do dólar

A importância dos EUA como importador a Portugal reforça-se com um dólar mais forte, mas as compras energéticas, cifradas em dólares, e a desaceleração da economia global contrariam a rota de crescimento do mercado americano.

PremiumComo criar música com uma tela de pintura

A artista italiana Francesca Bringandí vive da sinestesia entre música e pintura. De 23 a 30 de outubro terá o seu trabalho exibido na Galeria Salita e, no dia da estreia, irá ainda produzir duas novas pinturas criadas ao som da música.

PremiumNova Expressão quer Inapa a acelerar plano estratégico

Pedro Baltazar, que reforçou para 10% da Inapa, diz que redução da dívida é crucial e defende uma maior aposta nas embalagens. Depois do lucro de 16 milhões no semestre, seria “bom” fechar o ano com EBITDA acima de 75 milhões.
Comentários