Uma estratégia de “mestre”

O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, talvez por se achar um “mestre” no exercício de um cargo público, e juntando a isso a visível ambição de guindar-se a lugar de destaque superior àquele que atualmente ocupa, optou pela estratégia de jogar em vários tabuleiros. Isto porque, não vá o diabo tecê-las e perder o “jogo” nalgum deles, nada como fazer vários jogos em simultâneo, assegurando que haverá sempre, para si, um lugar garantido, um tabuleiro onde jogar.

Alguns grandes jogadores de xadrez conseguem, muitas vezes com êxito, defrontar vários adversários ao mesmo tempo, conseguindo jogar, em simultâneo, em vários tabuleiros.

Mas só mesmo os grandes mestres conseguem esse feito. Porque, para um normal praticante da modalidade, a capacidade necessária para jogar a um nível elevado já se requer superior, mesmo quando se trata de jogar num único tabuleiro.

O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, talvez por se achar um “mestre” no exercício de um cargo público, e juntando a isso a visível ambição de guindar-se a lugar de destaque superior àquele que atualmente ocupa, optou pela estratégia de jogar em vários tabuleiros. Isto porque, não vá o diabo tecê-las e perder o “jogo” nalgum deles, nada como fazer vários jogos em simultâneo, assegurando que haverá sempre, para si, um lugar garantido, um tabuleiro onde jogar.

Depois de ter afirmado, durante a campanha que, em caso de vitória, iria exercer o mandato até ao fim, envolve-se agora na disputa em curso pela liderança do PS-Madeira, sem que seja sequer militante. Uma originalidade.

E porque a sua eleição é muito recente e a memória dos funchalenses não será assim tão curta, engendrou (ou fizeram-no por ele) uma estratégia mirabolante de apoiar um candidato que, sendo eleito, lhe “oferecerá” o desejado cargo. Outra originalidade. E assim, não arrisca nada. Se der certo, consegue o objectivo ambicionado. Se falhar, mantém o actual cargo e ainda pode dizer que está a cumprir a sua promessa de completar o mandato.

Os funchalenses têm o direito de saber se vai cumprir a sua palavra ou se vê a Câmara Municipal como um degrau para alcançar outros desígnios, preferindo jogar em simultâneo em vários tabuleiros. Temos Presidente para 4 anos ou, depois vê-se?

Recomendadas

Funchal: PAN critica “tiques de absolutismo” de PSD e CDS-PP

O partido diz que o Orçamento Municipal do Funchal, que foi aprovado na Assembleia Municipal, permite concluir que estamos perante uma vereação “sem rasgo, sem ideias, conduzida por um presidente de Câmara, Pedro Calado, cuja capacidade de resolução de problemas já é considerada, por um número crescente e cada vez maior de habitantes do Funchal, como uma desilusão”.

Madeira lança campanha para promover literacia na saúde

Entre os temas abordados estarão: a alimentação saudável, a promoção da atividade física, a prevenção de acidentes em diferentes idades e contextos, a saúde mental ao longo da vida, a prevenção de consumos de substâncias psicoativas, a prevenção de consumos de álcool e tabaco, o sono e o repouso recomendados e o uso adequado da medicação.

Asseco PST e LOQR estabelecem parceria para reforçar ligação à lusofonia

Com esta parceria as empresas pretendem auxiliar as instituições financeiras no seu processo de aceleração digital.
Comentários