“Uma guerra no século XXI é um absurdo”. Guterres visita cidades ucranianas atingidas pela guerra (com áudio)

Numa visita emotiva e marcada pela destruição, o secretário-geral da ONU admitiu que vê a família a fugir em pânico perante a situação vivenciada por centenas de ucranianos.

O secretário-geral da ONU está na Ucrânia para um encontro com o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, mas antes fez questão de visitar algumas das cidades afetadas pelo conflito armado e pelos mísseis russos.

Numa das primeiras declarações desta quinta-feira, em Borodyanka, António Guterres afirmou que “uma guerra no século XXI é um absurdo” e mesmo um crime para a humanidade e para quem tem de passar por estes atentados, como é o caso do povo ucraniano.

Na primeira cidade visitada, Guterres está rodeado de tropas ucranianas, que visam garantir a sua segurança naquela que é uma das cidades mais atingidas pela guerra russa.

Ao verificar as barbaridades efetuadas, numa visita que acontece no dia seguinte ao encontro com Vladimir Putin, o secretário-geral da ONU admite que imagina a sua própria família a fugir perante o pânico, uma vez que está perante edifícios destruídos por bombas e mísseis. “Vejo as minhas netas a fugir em pânico, parte da família talvez morta”.

A visita a Borodyanka, antes de seguir para Bucha, terminou com um António Guterres emotivo a dizer que é impossível aceitar uma guerra no presente século.

Relacionadas

Guterres denuncia uso “cínico” da guerra para proteger combustíveis fósseis e travar transição energética

O secretário-geral da ONU defendeu que o mundo não se pode permitir a impostura ecológica, o designado ‘greenwashing, em Inglês, termo que se usa habitualmente para referir a estratégia das empresas que procuram mostrar respeitar o ambiente, quando na realidade não o fazem.

Depois de Putin, Guterres encontra-se com Zelensky em Kiev esta quinta-feira (com áudio)

Esta semana, o português já se encontrou com Vladimir Putin e Sergey Lavrov, mas também com Erdogan, um dos mediadores do conflito, depois ter sido criticado por demorar demasiado a realizar estes encontros pessoais, dois meses levados desde o início da invasão, e por começar a dupla viagem pela Rússia e não pela Ucrânia.

Ucrânia: Presidente da República espera que abertura de corredores humanitários tenha “pernas para andar” (com áudio)

À margem da receção à Missão Portuguesa aos Jogos Surdolímpicos, Marcelo Rebelo de Sousa afirmou que “há um jogo de palavras nestas situações militares, em que o que se diz é para produzir efeito dos vários lados”, considerando que este processo de Guterres é “discreto, difícil e que exigirá muito por parte do secretário-geral da ONU”.

“Prioridade das prioridades”. Guterres quer evacuação de Azovstal na sexta-feira

Sobre a continuação da exclusão da ONU até aos dias de hoje, disse que não é uma questão que o preocupa muito e que tem acompanhado de perto a evolução das negociações. “Espero que um dia a paz regresse à Ucrânia”, resumiu destacando o seu papel como “mensageiro de paz”.
Recomendadas

Severodonetsk “totalmente ocupada” pela Rússia, segundo autarca

A cidade de Severodonetsk, no leste da Ucrânia, está “totalmente ocupada” pelas forças russas após semanas de combates intensos, segundo informações do presidente da câmara, Oleksandr Stryuk.

Condenação do estatuto de candidato à UE revela fraqueza do Kremlin

O ministro dos Negócios Estrangeiros ucraniano afirmou este sábado que a condenação do Kremlin de uma “garra geopolítica” dirigida à Rússia, na sequência da atribuição à Ucrânia e à Moldova de estatuto de candidato à UE “mostra a sua fraqueza”.

Ucrânia. Exército acusa Bielorrússia de bombardear a região fronteiriça de Chernigiv

A Bielorrússia, aliado diplomático de Moscovo, bombardeou a região fronteiriça de Chernigiv, na Ucrânia, a nordeste de Kiev, disse este sábado o Exército ucraniano, acrescentando que o ataque não causou vítimas e afetou uma infraestrutura.
Comentários