União Europeia aprova mudança nos carregadores vendidos na Europa. Apple vai ter de se adaptar

Os cabos USB-C serão obrigatórios em dispositivos como telemóveis, tablets e câmaras fotográficas, por decisão do Parlamento Europeu. A decisão foi tomada hoje e entra em vigor em 2024.

As tecnológicas que fabricam dispositivos como telemóveis, tablets e câmaras fotográficas terão que fazê-lo com uma porta única de carregamento e um só cabo, igual para todas as marcas. Trata-se dos cabos USB-C, que são utilizados nos aparelhos com sistema operativo Android.

A medida foi aprovada pelo Parlamento Europeu, esta terça-feira, e será válida a partir de 2024, de acordo com a “Reuters”.

A decisão chega de Bruxelas depois de, durante o mês de junho, os países da União Europeia (UE) e os legisladores terem chegado a acordo para a utilização de um cabo universal. Por enquanto, os dispositivos da Apple são carregados com um cabo Lightning, diferente dos cabos USB-C, usados nos Android.

A UE tem vindo a defender a existência de uma única forma de carregamento há mais de uma década, mas as negociações entre as empresas não haviam chegado a bom porto, no sentido de avançar com esse objetivo.

Analistas citados pela “Reuters” dizem que a medida pode ter um impacto positivo na Apple, com os consumidores a procurarem a adquirir os dispositivos mais recentes, em vez dos que não têm a entrada USB-C.

Recomendadas

Renting, o Factoring e o Leasing Imobiliário cresce a dois dígitos até setembro

O total do sector significou 30,5 mil milhões de euros, 23,8% acima dos cerca de 24,7 mil milhões dos três trimestres do ano passado e do valor similar de 2019. O maior impulso veio do confirming (serviço de gestão de pagamentos devidos aos fornecedores, permitindo ao cliente do confirming libertar capital para outras áreas).

CEO portugueses preveem parcerias estratégicas para empresas crescerem, revela KPMG

No que toca a medidas para o futuro, a estratégia preferida dos CEOs portugueses (36%) para atingir os objetivos de crescimento das suas empresas é a criação de alianças com parceiros estratégicos, por oposição a 26% dos CEOs internacionais. As Fusões e Aquisições (F&A) seguem em segundo lugar destas medidas, com votos de 28% dos CEOs portugueses e de 11% dos CEOs internacionais.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcaram o dia informativo desta segunda-feira.
Comentários