União Europeia aprova nova proposta de energias limpas para países da zona euro

Acordo conclui a adoção de um “pacote de energia limpa” de leis que foi apresentado pela Comissão Europeia há mais de dois anos.

Os legisladores da União Europeia (UE) chegaram a um acordo na madrugada desta quarta-feira sobre uma nova proposta de reforma das regras do mercado da eletricidade que inclui uma data limite de 2025 para os subsídios de carvão e uma cláusula especial para a Polónia.

O anúncio chega depois da Cimeira do Clima que decorreu em Katovice, uma cidade polaca situada no meio da Silésia – uma das maiores regiões produtoras de carvão da Europa (sendo que 80% da eletricidade da Polónia vem da energia do carvão, o mais poluente dos combustíveis fósseis) para debater a situação climática atual.

https://twitter.com/MAC_europa/status/1075184954357805057?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1075184954357805057&ref_url=http%3A%2F%2Fwww.climatechangenews.com%2F2018%2F12%2F19%2Feu-reaches-coal-phase-deal-caveat-poland%2F

Após as maratonas de negociações, que começaram às 10h30 de terça-feira, 18 de dezembro, os negociadores da UE finalmente chegaram a um acordo sobre a reforma do mercado de eletricidade da Europa logo após a 1h da manhã do dia seguinte.

O acordo conclui a adoção de um “pacote de energia limpa” de leis que foi apresentado pela Comissão Europeia há mais de dois anos.

“Desde que os Estados membros confirmem este resultado, agora temos um acordo político sobre o pacote de energia limpa”, disse Elisabeth Köstinger, Ministra da Sustentabilidade e Turismo da Áustria, que atualmente preside o Conselho de Ministros da UE.

“A mensagem de hoje é clara: esta é o último apelo ao carvão”, disse Florent Marcellesi, um parlamentar de Espanha que estava na equipa de negociações do Parlamento Europeu. “Estamos a dar um passo além do carvão e um passo em direção à era da energia renovável”, acrescentou após a conclusão das conversas trilaterais com os países membros da UE, sob observação da Comissão.

Recomendadas

Ativistas aumentam pressão sobre governos para intensificarem esforços de ação climática

Até ao momento, mais de 80 processos judiciais foram iniciados em todo o mundo para “obrigar” os governos a intensificarem os esforços.

“Gravidade da seca em Portugal é impressionante”, alerta especialista das Nações Unidas

Portugal atravessa uma seca “impressionante” e precisa de melhorar a eficiência do uso da água, nomeadamente no setor da agricultura, alertou hoje o relator especial para os Direitos Humanos e o Meio Ambiente das Nações Unidas (ONU).

Enviado das Nações Unidas avisa que Portugal “tem de acelerar” ação climática

Portugal deve acelerar o ritmo dos progressos a nível ambiental e reforçar a aplicação das leis face à emergência climática, defendeu hoje o enviado das Nações Unidas (ONU) David Boyd, após visitar o país durante nove dias.
Comentários