Universidade de Coimbra distingue Carlos Moedas

O antigo comissário europeu, Carlos Moedas é o vencedor do Prémio Universidade de Coimbra 2020, anunciou, esta sexta-feira, o reitor Amílcar Falcão.

Carlos Moedas é o vencedor do Prémio Universidade de Coimbra 2020, uma das mais relevantes distinções nas áreas da ciência e da cultura. Engenheiro civil, economista e político, regressou recentemente a Portugal após cinco anos em Bruxelas onde foi comissário europeu.

Nascido em Beja, em 1970, Carlos Manuel Félix Moedas é licenciado em Engenharia Civil pelo Instituto Superior Técnico e tem um MBA pela Harvard Business School. Fez carreira como economista antes de integrar o Governo de Portugal como secretário de Estado Adjunto do primeiro-ministro Pedro Passos Coelho. Foi depois comissário europeu para a Investigação, Inovação e Ciência, entre 2014-2019, onde se distinguiu.

A construção de uma rede europeia pró-inovação, investigação e ciência foi um dos marcos do seu mandato, permitindo alcançar um recorde financeiro para a Investigação e a Inovação no programa Horizonte Europa 2021-2027.

Atualmente é administrador executivo da Fundação Calouste Gulbenkian, membro do conselho de administração do Instituto Jacques Delors, membro do conselho consultivo da iniciativa “Futuros da Educação” da UNESCO e membro do conselho consultivo do projeto Reimagine Europa.

O Prémio Universidade de Coimbra, no valor de 25 mil euros, conta com o patrocínio do Banco Santander, através do Santander Universidades.

Recomendadas

Português João Redondo preside a Aliança das Instituições de Ensino Superior Não Estatais na Europa

A EUPHE representa cerca de 700 instituições universitárias e politécnicas particulares e cooperativas, nas quais estudam 1,5 milhões de estudantes em países como a França, Alemanha, Espanha, Áustria, Irlanda, Polónia, Eslovénia e Portugal.

A emocionante viagem de Nuno Bicho no rasto do Homo Sapiens

O investigador português, vice-reitor da Universidade do Algarve, está de regresso a Moçambique. Nesta descoberta pelos vales do Save e do Limpopo faz-se acompanhar por uma equipa multidisciplinar para comprovar, através da arqueologia, o modelo genético de que as populações humanas da África Austral foram a génese da migração da nossa espécie.

Politécnico de Viana do Castelo cria centro de investigação de 6,5 milhões para economia azul

Projeto para a construção do edifício aguarda financiamento do PT2030. Objetivo é que seja construído no próximo ano e entre em funcionamento em 2024.
Comentários