Universidade saúda confirmação de Coimbra como sede da Entidade para a Transparência

O reitor da Universidade de Coimbra afirmou esta terça-feira que foi “com satisfação” que recebeu a confirmação oficial da instalação da Entidade para a Transparência no Palácio dos Grilos, edifício daquela instituição.

Universidade Coimbra:

A Entidade para a Transparência deverá começar a funcionar em fevereiro, depois da conclusão da primeira fase da requalificação do Colégio de Santa Rita, mais conhecido como Palácio dos Grilos, em Coimbra, anunciou hoje o Tribunal Constitucional (TC).

Numa reação por escrito enviada à agência Lusa, o reitor da Universidade de Coimbra (UC), Amílcar Falcão, salientou que a instituição procurou sempre “disponibilizar todas as condições necessárias” para que essa instalação pudesse acontecer.

“Foi com satisfação que recebemos a confirmação oficial da instalação da Entidade para a Transparência em Coimbra”, sublinhou o reitor daquela instituição, que avançou em setembro com uma primeira fase de reabilitação do Palácio dos Grilos, orçada em 140 mil euros pensada para tornar aquele edifício compatível com a instalação da Entidade para a Transparência.

Para além de saudar a escolha da Universidade de Coimbra, Amílcar Falcão destacou também outra “prova do prestígio” da instituição, por ter sido escolhida a docente da Faculdade de Direito Ana Raquel Moniz como presidente da Entidade.

“Agradecendo as amáveis palavras do Tribunal Constitucional sobre o empenho com que procurámos criar condições para que a instalação se concretize com a maior celeridade possível, desejamos os maiores sucessos para a Entidade para a Transparência e mantemos total disponibilidade para outras colaborações que venham a revelar-se necessárias e oportunas, no futuro, com este ou com outros organismos do Estado”, salientou o reitor, no depoimento enviado à Lusa.

Aquando da adjudicação da primeira fase de requalificação do Palácio dos Grilos, o vice-reitor da UC Alfredo Dias explicou que o edifício estaria em condições de funcionar no início de 2023, mas na altura admitia que o futuro uso daquele espaço ainda não estava definido, por estar dependente “de vários processos ainda em aberto”.

Ao todo, “estão previstas três fases [de requalificação] correspondentes a zonas distintas do edifício, em todos os casos com a mesma tipologia de intervenção”, contemplando trabalhos de reabilitação de caixilharias, pintura de fachadas, substituição de instalações elétricas, climatização, novas instalações sanitárias e pinturas interiores, referiu, na altura, o vice-reitor.

Em dezembro de 2022, Amílcar Falcão afirmou também à agência Lusa que a UC “nunca foi o obstáculo” para a ida da Entidade para a Transparência para aquela cidade, referindo que a primeira fase de requalificação seria feita independentemente de a entidade ir ou não para Coimbra apesar de ser pensada para esse fim.

Em comunicado, o TC anunciou que foi aprovada hoje em plenário a proposta do presidente, João Caupers, para a composição da Entidade para a Transparência (EpT), indicando como presidente a professora associada da Faculdade de Direito de Coimbra Ana Raquel Moniz e como vogais Mónica Correia, consultora jurídica na Faculdade de Medicina do Porto, e Pedro Miguel Nunes, coordenador de equipa na Autoridade Tributária e Aduaneira.

Quanto à instalação física da EpT, o TC adiantou que prescindiu da solução de arrendamento provisório que tinha projetado em novembro de 2022 por estar “em vias de conclusão” a primeira fase da renovação e adaptação do Colégio de Santa Rita, em Coimbra, e estimou que durante o mês de fevereiro serão disponibilizados os espaços de trabalho.

“Logo que recebidos os equipamentos e o mobiliário encomendados, serão disponibilizados espaços adequados de trabalho para os três dirigentes da EpT e mais três funcionários, o que se prevê que ocorra durante o mês de fevereiro”, referiu o TC, no comunicado.

A instalação da EpT ficará concluída com a finalização da segunda fase dos trabalhos, um processo que o TC prevê que demore “um máximo de seis meses”.

Recomendadas

80% dos que se despediram em 2022 arrependem-se da decisão, aponta estudo

O fenómeno que ficou conhecido como ‘a grande demissão’ resultou num grande arrependimento. 80% dos trabalhadores que largaram os seus empregos no ano passado gostaria de voltar atrás na decisão, revela um estudo da Paychex.

Investigador do Técnico recebe bolsa europeia para estudar redes neuronais artificiais

André Martins quer apresentar soluções para alguns problemas fundamentais do processamento de linguagem natural (NLP). O seu campo de estudo são redes neuronais artificiais aplicadas ao processamento de linguagem natural

Centro de Data Science da Nova SBE lança página com ofertas de emprego e voluntariado de impacto social

A página apresenta informação sobre os perfis pretendidos pelas organizações sociais, podendo os candidatos submeter a candidatura através de e-mail, Linkedin, ou outra via aí divulgada.
Comentários