Utentes da ADSE vão pagar até mais 35% pelos partos

Estes aumentos englobam cerca de 100 atos médicos em áreas como cirurgia, medicina, ginecologia, urologia, anatomia patológica, enfermagem e exames radiológicos, revela o “Jornal de Negócios”.

Os utentes da ADSE vão verificar aumento dos preços no próximo ano. Este acréscimo deve-se à revisão em alta de cem preços nas tabelas do regime convencionado do sistema, revela o “Jornal de Negócios”.

De acordo com a publicação, o subsistema dos partos é um dos mais afetados, verificando aumentos na ordem dos 20% aos 35% face à tabela atualmente em vigor. Estes aumentos englobam cerca de 100 atos médicos em áreas como cirurgia, medicina, ginecologia, urologia, anatomia patológica, enfermagem e exames radiológicos.

Por uma cesariana num hospital privado, o beneficiário da ADSE paga atualmente 239 euros mas com a nova tabela vai passar a pagar 286,2 euros, ou seja, um aumento de 20%. Nos partos normais, o valor a pagar pelo utente cresce 35% para 187,2 euros.

Estas alterações nas tabelas surgem depois de terem surgido conflitos com alguns grupos privados de saúde como a Luz Saúde e CUF, que assumiram deixar de realizar atos clínicos através da ADSE.

Recomendadas

Custo de cabaz alimentar de bens básicos aumentou 21% para adultos num ano, diz BdP

O banco central revela que entre outubro de 2021 e outubro de 2022, o custo mensal médio e mediano de um cabaz básico de consumo alimentar para um adulto com cerca de 40 anos aumentou 21% e 24%, respetivamente.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta sexta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta sexta-feira.

PremiumMenores retenções de IRS não chegam a todos em janeiro

Novas tabelas de IRS não dão aumento do rendimento disponível a todos os contribuintes a partir de janeiro. Solteiros e casados com dois filhos são os mais penalizados. Com novas regras, ganhos serão superiores a partir de julho.
Comentários