“Vacina? Profissionais de saúde são imunes à superstição e alarvidades”, garante diretor clínico do Hospital de Santo António

“Os profissionais de saúde acreditam na vacina e querem ser vacinados. Se não vacinamos mais é porque não existem mais vacinas nesta fase”, garantiu o responsável hospitalar. No Hospital de Santo António, no Porto, prevê-se que vão ser vacinados 1.795 profissionais nos próximos três dias neste centro hospitalar, sendo que todos estes estão em contacto com doentes Covid

José Barros, diretor clínico do Hospital de Santo António, no Porto, garantiu este domingo, que marcou o arranque do plano de vacinação contra a Covid-19, que os profissionais de saúde confiam na vacina e que estão imunes a alguma desinformação sobre o tema.

“Os profissionais da saúde estão esmagadoramente pelo lado da ciência e estão imunes à superstição, às notícias falsas e a todas as alarvidades que vamos lendo sobretudo nas redes sociais. Os profissionais de saúde acreditam na vacina e querem ser vacinados. Se não vacinamos mais é porque não existem mais vacinas nesta fase”, garantiu o responsável hospitalar em declarações à “SIC Notícias”.

Sobre o processo de vacinação contra a Covid-19, José Barros garantiu que “está tudo a correr muito bem e num ambiente quase festivo, quer por parte dos profissionais que estão a trabalhar, quer aqueles que estão a ser vacinados”.

No Hospital de Santo António, no Porto, prevê-se que vão ser vacinados 1.795 profissionais nos próximos três dias neste centro hospitalar, sendo que todos estes estão em contacto com doentes Covid, de acordo com o diretor clínico.

Portugal iniciou o processo de vacinação contra a Covid-19 este domingo de manhã, passavam cerca de sete minutos das 10h00. O primeiro fármaco desenvolvido pela Pfizer/BioNTech, foi administrado a António Sarmento, no Centro Hospitalar Universitário de São João (Porto), pela enfermeira Ana Isabel Ribeiro, que também irá receber a vacina ainda hoje.

Relacionadas

“Dia de alento e esperança”. António Costa saúda arranque do plano de vacinação contra a Covid-19

Através de uma publicação na rede social “Twitter”, o chefe do Governo considera que este será um “dia de alento e esperança que nos dá força para continuar a trabalhar com a mesma determinação”.

Bastonário dos médicos: “Não tive a mínima hesitação em me apresentar para ser vacinado”

Miguel Guimarães, enquanto profissional de saúde, foi um dos convocados para a primeira fase do processo de vacinação contra a Covid-19. “O efeito da vacina vai-se sentir mais tarde, quando cerca de 70% da população estiver vacinada”, advertiu o médico.

Vacinas contra a Covid-19 vão ser administradas em lares já em janeiro, anuncia Marta Temido

“Estimamos que nessas semanas em janeiro, em que vamos receber mais vacinas, passemos o processo de vacinação para profissionais de estruturas residenciais para idosos e de residentes nessas estruturas”, explicou a ministra de Saúde.
Recomendadas

2022, ano de esperança: “recuperação criativa e comercial”

O que procura o consumidor num relógio? “Atualmente os clientes compram um relógio pela beleza da peça. Usam-no como uma joia e não como uma ferramenta”, diz Carlos Rosillo, CEO da Bell & Ross.

“Vamos manter a nossa presença no mercado e surpreender!”

A coleção de Natal que Eugénio Campos nos traz este ano é “acima de tudo, uma coleção com muita criatividade, inspirada na família e no sentimento, e pensada para que seja uma coleção de gerações”, garante o seu criador.

Joalharia, tradição, singularidade e mestria artesanal

As joias, testemunhos de ligação entre gerações, devem ser um legado de arte, de memórias e de valores. Fique a par das novidades de uma indústria pioneira na sustentabilidade.
Comentários