Vacinação obrigatória só “em último recurso”, avisa OMS

Aviso surge após as intenções publicamente difundidas por países como Alemanha e Áustria, em avançarem com medidas mais duras, incluindo a toma obrigatória da vacina contra o coronavírus.

Organização Mundial de Saúde

O diretor da Organização Mundial de Saúde (OMS) para a Europa, Hans Kluge, disse que os países só deveriam tornar a vacinação contra a Covid-19 obrigatória “em último recurso”, segundo a “Reuters”. O aviso da OMS surge após as intenções publicamente difundidas de alguns países europeus, como Alemanha e Áustria, de avançarem com medidas mais duras.

Cada vez mais países na Europa se debatem para convencer o máximo de pessoas possíveis a tomarem uma das vacinas disponíveis contra a Covid-19, mas sem sucesso.

A alternativa encontrada pelos dois países europeus, passa por penalizar todos aqueles que se recusem a tomar a vacina, existindo já a possibilidade de tornar o processo de inoculação obrigatório, medida defendida pela chanceler alemã cessante, Angela Merkel. No fim do mês passado, a Áustria impos uma quarentena obrigatória de 20 dias para todos os não vacinados, um movimento que levou ao acréscimo considerável do número de doses administradas nesse período.

“Mandatos em torno da vacinação são um último recurso e apenas aplicáveis ​​quando todas as opções viáveis ​​para melhorar a captação da vacinação foram esgotadas”, adiantou o diretor da OMS para a Europa, Hans Kluge.

“A eficácia das obrigações é muito específica ao contexto”, disse Kluge, acrescentando que a confiança do público e das autoridades precisam ser consideradas.

“O que é aceitável numa sociedade e comunidade pode não ser eficaz e aceitável em outra”, concluiu o responsável da OMS.

Recomendadas

Isolamento deixa de ser obrigatório para infetados com Covid-19

O Ministério da Saúde também aponta que os testes a covid-19 deixam de ser prescritos via SNS 24

Covid-19: Mortalidade e internamentos estáveis, infeções com tendência crescente

A mortalidade e as hospitalizações por covid-19 continuam em níveis estáveis em Portugal, mas o país regista uma tendência crescente de novos casos de infeção, indica o relatório sobre a evolução da pandemia hoje divulgado.

Portugal registou 19.703 mil casos e 41 mortes de Covid-19 na última semana

A Direção-Geral da Saúde contabilizou mais 2.049 infeções e mais quatro óbitos em comparação à semana anterior.
Comentários