Vai comprar uma casa usada? Tenha atenção a estes 6 aspetos

Conheça os principais aspetos a equacionar na compra de casas usadas para perceber se o valor que está a ser pedido pelo imóvel é justo, bem como o tipo de construção do mesmo e o seu estado de conservação, que poderão ter implicações no futuro.

Está à procura de casa, entrou naquela habitação e pensou “é esta”. Foi amor à primeira vista, mas será que à segunda ou terceira vista a chama continuará acesa? Comprar casa é sempre uma decisão com elevado peso, principalmente quando a escolha assenta em casas usadas. Os cuidados a ter antes de decidir devem ser redobrados, pelo que é importante que tenha olho crítico na avaliação dos imóveis.

Os aspetos a equacionar na compra de casas usadas são bastante importantes na medida em que irão ajudar a perceber se o valor que está a ser pedido pelo imóvel é justo, bem como o tipo de construção do mesmo e o seu estado de conservação, que poderão ter implicações no futuro.

 

Como avaliar o estado de casas usadas?

A escolha de uma habitação não é uma decisão que deve ser tomada ânimo leve, principalmente se as opções assentam em casas usadas sobre as quais terá de ser feita uma avaliação minuciosa.

Será que precisa apenas de uma pintura de fresco ou de uma remodelação completa? Está em bom estado de conservação ou será que pode vir a dar problemas no futuro? Conheça 6 particularidades que deve ter em conta ao comprar casas usadas.

 

#1 – Construção

Informe-se sobre quais foram as construtoras responsáveis pelas casas, em que ano estas foram construídas e se houve intervenções posteriores à construção e quais.

Este tipo de informação será útil na medida em que ajudará a analisar o estado atual e a avaliar a viabilidade de posteriormente efetuar obras ou remodelações.

Não se esqueça de solicitar a planta da casa, pois esta pode ser útil caso decida fazer alterações ao imóvel. Informe-se junto da Câmara Municipal se a obra é legal e se tem licença de habitação, pois caso haja obras executadas sem autorização, poderá ter custos extra de licenciamento ou mesmo, em casos mais extremos, ter de enfrentar a demolição.

Verifique o exterior da casa ao nível das fachadas, se estas apresentam humidade ou ranhuras. Caso esteja a avaliar um apartamento, tenha especial atenção: se se localiza numa cave, certifique-se de que apanha luz suficiente e não é demasiado húmido; se se localiza no último andar, verifique a impermeabilização e o isolamento para prevenir infiltrações.

 

#2 – Interior do imóvel

Se está a comparar diferentes casas usadas, também é importante analisar o estado do seu interior.

Deve começar por averiguar a tipologia do imóvel, isto é, se a disposição e as dimensões da casa vão ao encontro das suas necessidades para lhe proporcionar o melhor conforto.

Também a espessura das paredes é importante de analisar, pois paredes mais grossas e consistentes são tecnicamente mais eficazes, tanto a nível térmico como acústico.

Deve ainda verificar se existem sinais de humidade, rachas ou manchas, principalmente nas paredes e tetos da cozinha e casas de banho. Caso existam, pode estar perante infiltrações ou problemas na canalização.

Não descure a avaliação dos materiais das janelas e caixilharias – se são em madeira, alumínio ou PVC –, bem como o estado de conservação dos mesmos e certifique-se de que possuem algum tipo de proteção exterior, tais como estores ou portadas.

Confirme também se os vidros são duplos. Uma casa com este tipo de janelas e portadas de boa qualidade terá melhor isolamento a nível acústico e térmico.

Outro aspeto importante a ter em consideração na avaliação de casas usadas é a canalização. Em casas mais antigas, os canos costumam estar embutidos nas paredes, sendo, por isso, difícil de verificar o seu estado, mas, porém, é possível ter uma estimativa com base na idade do imóvel.

As canalizações antigas tendem a criar depósitos e podem diminuir o fluxo da água, principalmente em tubagens de água quente. Teste a pressão da água ligando uma torneira.

Verifique também o sistema de aquecimento de água – se é elétrico com termoacumular ou a gás com esquentador.

É ainda fundamental verificar a instalação elétrica em casas usadas, principalmente nas mais antigas, para saber qual a potência instalada. Quadros que tenham circuitos de fraca potência não permitem muitos eletrodomésticos ligados ao mesmo tempo, o que pode não ser suficiente para as suas necessidades diárias.

Indague se esta instalação é recente ou se já foi trocada alguma vez e verifique a quantidade de tomadas que existe em cada divisão.

 

#3 – Eficiência energética

A eficiência energética de uma habitação é impactada por vários aspetos, tais como o tamanho e a quantidade de janelas e, mais importante ainda, a orientação solar da casa.

Quanto mais sol e luz natural a casa receber, mais eficiente a nível energético será, pois não vai precisar de tanta quantidade de luz artificial.

Verifique ainda se há painéis solares instalados, o que vai fazer-lhe poupar imenso dinheiro em gás de forma imediata.

 

#4 – Documentação

Certificado Energético do imóvel é um dos documentos obrigatórios no processo de compra de casa.

Deverá olhar para este documento para realizar uma estimativa dos gastos que poderá vir a ter para manter algum nível de conforto na sua habitação.

Ao avaliar casas usadas é também importante que consulte a Certidão de Teor, que pode ser adquirida na Conservatória do Registo Predial. Este documento permite averiguar se existem penhoras, hipotecas, ónus ou outro tipo de encargos associados aos imóveis.

Deve ainda verificar se o imóvel está livre de herdeiros ou se tem algum contrato de arrendamento ou de usufruto por parte de terceiros.

Num cenário ideal, um imóvel com irregularidades jurídicas não deveria estar apto para venda, mas, no entanto, mais vale sempre prevenir do que remediar.

 

#5 – Impostos

Para além da compra da casa, é importante que se informe sobre outros gastos que terá com o imóvel.

O IMI (Imposto Municipal sobre Imóveis) é uma tributação obrigatória que representa ainda uma despesa anual avultada e, caso se trate de um apartamento, também podem existir custos de condomínio.

Pode dirigir-se às Finanças a fim de verificar se o pagamento do IMI está em dia e se não existem ónus fiscais sobre o imóvel.

É também nas Finanças que pode tomar conhecimento de todos os impostos obrigatórios inerentes à aquisição do imóvel (e não se esqueça de verificar se existe tarifa de saneamento aplicada ao município onde se localiza a habitação).

 

#6 – Inquilinos anteriores

Tente conhecer um pouco dos inquilinos que já passaram pela casa e qual foi a finalidade que deram à habitação.

Verificar este historial dá-lhe uma ideia do desgaste que a mesma possa ter sofrido. Se foi uma casa que apenas teve um inquilino durante o seu tempo de vida, tem mais probabilidade de estar bem conservada do que se for uma casa pela qual passaram inúmeros inquilinos.

 

Escolher o financiamento adequado

De entre uma panóplia de casas usadas é expectável que, e tendo em consideração os aspetos mencionados ao longo deste artigo, opte pela habitação que mais vá ao encontro dos seus gostos e necessidades.

Escolher o crédito habitação certo para poder comprar a sua casa é fundamental. Estamos a falar de um montante que terá um peso elevado no seu orçamento familiar e, por isso, deve considerar e comparar todas as ofertas das instituições financeiras para que efetue a escolha mais adequada.

Relacionadas

Está à procura de casa? Há opções de financiamento para as pré-fabricadas

Independentemente de optar por um financiamento específico ou por um crédito à habitação tradicional, deve sempre ter atenção à sua taxa de esforço. O ideal será que esta não ultrapasse os 33%, para que consiga pagar as suas prestações mensais sem desequilibrar as suas finanças.

Quanto custa construir uma casa?

Quando chega a altura de comprar casa, muitas vezes a decisão entre adquirir uma nova, usada ou mesmo construir de raiz torna-se difícil de tomar, dado que todas as soluções têm os seus prós e contras. Nada será mais personalizado do que uma habitação construída de raiz, mas será que vale a pena toda a despesa e tempo gasto em burocracia? Descubra, neste artigo, quanto custa construir uma casa.

Casas com 40% de desconto em leilão: o barato sai caro? Descubra aqui

Sonha ter uma habitação própria, mas acha que os preços são muito elevados? As casas em leilão podem custar até menos 40% do que o valor normal do mercado. Porém, às vezes, o barato sai caro. Descubra onde existem leilões de imóveis, como se realizam, como obter financiamento e ainda todos os cuidados a ter.
Recomendadas

Respostas Rápidas: como deve investir a pensar na reforma?

Com uma estrutura demográfica cada vez mais envelhecida, as dúvidas em torno da sustentabilidade da Segurança Social no médio-prazo reforçam o papel da poupança privada no rendimento dos portugueses em reforma, pelo que importa compreender os vários instrumentos financeiros ao seu dispor.

Respostas rápidas: é assim que pode ir para a reforma antes dos 66 anos e sete meses

Não tem 66 anos e sete meses, mas quer ir para a reforma? Há vários regimes que permitem a antecipação da pensão de velhice. O Jornal Económico explica, com base num guia do ComparaJá.

Respostas Rápidas: como pode aceder ao complemento solidário para idosos ou outras pensões?

A propósito do Dia Internacional do Idoso e dado o envelhecimento cada vez maior da sociedade portuguesa, importa compreender como podem os contribuintes aceder a vários apoios disponibilizados pela Segurança Social.
Comentários