Valor médio das encomendas online aumenta 4,6% no primeiro trimestre de 2022

De setor para setor, ao contrário de outros anos nos quais o aumento se verificou mais homogéneo, regista-se agora uma diferença significativa nas várias indústrias. Os setores farmacêutico e eletrónico foram os que mais aumentaram: 7,3% e 6,8%, respetivamente. Moda e calçado menos afetadas.

O valor médio das encomendas online aumentou 4,6% no primeiro trimestre de 2022 em Portugal, em relação à mesma altura no ano passado, segundo um estudo. A Outvio, empresa líder na gestão dos processos pós-checkout de lojas online, atribui este aumento à inflação: tanto o combustível como a energia necessários estão agora mais caros.

“Observamos um aumento do valor médio das encomendas em Portugal, mas o número de artigos por encomenda é aproximadamente o mesmo para cada setor [tendo passado de uma média de 2,1 para 2,3]. Isto sugere um aumento do preço dos artigos ou do transporte no e-Commerce, muito provavelmente causado pelo aumento dos níveis de inflação nos últimos meses. Este cenário era quase inevitável dado o atual clima económico europeu”, informa o comunicado.

De setor para setor, ao contrário de outros anos nos quais o aumento se verificou mais homogéneo, regista-se agora uma diferença significativa nas várias indústrias.

Para os setores farmacêutico e eletrónico, por exemplo, o aumento foi de 7,3% e 6,8% respetivamente, enquanto que a moda e o calçado verificaram um aumento significativamente menor de 2,7% e 2,1%, respetivamente. Por outro lado, o preço dos produtos de consumo (como perfumarias e drogarias) online cresceu 6,7%, em parte, devido a artigos relacionados com a Covid-19, nomeadamente máscaras e desinfetantes.

Segundo a organização, tem também sido notado o impacto negativo que esta situação pode ter na satisfação do cliente, uma vez que pode existir uma grande probabilidade de o utilizador migrar para o canal físico, ao perceber que o preço das compras online está a aumentar. Assim, defende que a solução passa por investir numa experiência de compra de excelência.

“Atualmente, existem ferramentas que permitem otimizar as operações pós-checkout das lojas online, e com muito pouco investimento. Se o cliente estiver ciente que comprar online oferece outras vantagens, tais como a poupança de tempo ou a possibilidade de fazer a gestão das suas devoluções sem ter de se dirigir à loja, permanecerá fiel mesmo que os preços sejam ligeiramente superiores aos do canal físico, e continuará a comprar online”, explica.

Recomendadas

Respostas Rápidas: como deve investir a pensar na reforma?

Com uma estrutura demográfica cada vez mais envelhecida, as dúvidas em torno da sustentabilidade da Segurança Social no médio-prazo reforçam o papel da poupança privada no rendimento dos portugueses em reforma, pelo que importa compreender os vários instrumentos financeiros ao seu dispor.

Respostas rápidas: é assim que pode ir para a reforma antes dos 66 anos e sete meses

Não tem 66 anos e sete meses, mas quer ir para a reforma? Há vários regimes que permitem a antecipação da pensão de velhice. O Jornal Económico explica, com base num guia do ComparaJá.

Preço médio das casas do Canadá vai custar perto de 500 mil euros até ao fim de 2023

Aumento das taxas de juro acima do previsto pelo Banco do Canadá estão a fazer com que os custos com a habitação consumam 60% das finanças das famílias, o valor mais elevado desde 1990.
Comentários