Valor sob gestão dos fundos de investimento mobiliário soma 16,6 mil milhões em outubro

A Sonae foi o título com maior peso nas carteiras dos fundos, representando 10,5% do total investido, com um crescimento mensal de 21,6%. Seguiram-se a Jerónimo Martins, cujo valor nas carteiras dos fundos teve um crescimento mensal de 7,3% e a Altri, cujo valor cresceu 9,0% face a setembro.

A CMVM divulgou os indicadores mensais dos fundos de investimento mobiliário e verifica-se uma subida nos montantes sob gestão face a setembro. Em outubro de 2022, o valor sob gestão dos organismos de investimento coletivo em valores mobiliários (OICVM) totalizou 16.645,1 milhões de euros, mais 132,4 milhões (0,8%) do que em setembro. Nos fundos de investimento alternativo (FIA), o valor mensal sob gestão desceu 0,3% para 293,6 milhões de euros.

O valor das aplicações em ações subiu 8,3% nas de emitentes nacionais e 4,7% nas de emitentes estrangeiros, em comparação com o mês anterior.

Já no que respeita à dívida pública, numa altura em que a yields sobem, o valor das aplicações caiu 9,3% na nacional e 3,0% na estrangeira. O valor aplicado em obrigações caiu 4,2% nas de emitentes nacionais e 0,7% nas de emitentes estrangeiros.

A Sonae foi o título com maior peso nas carteiras dos fundos, representando 10,5% do total investido, com um crescimento mensal de 21,6%. Seguiram-se a Jerónimo Martins, cujo valor nas carteiras dos fundos teve um crescimento mensal de 7,3% e a Altri, cujo valor cresceu 9,0% face a setembro.

No que respeita ao investimento em títulos da União Europeia, os mais representativos nas carteiras dos fundos de investimento foram a LVMH (Louis Vuitton), a Siemens e a Inditex. Fora da União Europeia destacaram-se a Apple Computer, a Visa e a Microsoft.

A Alemanha foi o principal destino de investimento dos fundos de investimento mobiliário em outubro, ao absorver 23,9% do total das aplicações dos fundos, seguida dos Estados Unidos (17,3%) e de França (10,0%). Portugal absorveu 4,6% do investimento.

As sociedades gestoras com as maiores quotas de mercado foram a Caixa Gestão de Ativos (35,9%), a IM Gestão de Ativos (21,1%) e a BPI Gestão de Ativos (17,2%).

Em outubro foram constituídos os fundos de investimento mobiliário “Santander Aforro PPR/OICVM” e “BPI Obrigações 2025” geridos, respetivamente, pelo Santander Asset Management e pelo BPI Gestão de Ativos, revela a Comissão de Mercado de Valores Mobiliário.

Recomendadas

PremiumBCE e Fed avaliam peso da subida de juros e ritmo pode abrandar nas próximas reuniões

As atas das mais recentes reuniões de política monetária na zona euro e EUA mostram uma preocupação de ambos os bancos centrais com o abrandamento da economia, dando esperanças de subidas menos expressivas dos juros nos próximos meses, embora os sinais neste sentido sejam mais fortes do outro lado do Atlântico.

Musk tinha um plano para o Twitter? Veja as escolhas da semana no “Mercados em Ação”

Conheça as escolhas da semana do programa da plataforma multimédia JE TV numa edição que contou com a análise de Nuno Sousa Pereira, head of investments da Sixty Degrees.

PSI encerra no ‘vermelho’ em contra ciclo com a Europa

Lá fora, as principais praças europeias negociaram maioritariamente em terreno positivo. O FTSE 100 valorizou 0,32%, o CAC 40 ganhou 0,08%, e o DAX apreciou 0,01%. O espanhol IBEX 35 manteve-se estável.
Comentários