Vendas de automóveis aceleram em outubro

A venda de automóveis ligeiros e pesados em Portugal aumentou 31,3% em outubro, face a igual mês do ano anterior, para 14 562 veículos, abrandando o ritmo face à evolução anterior, indica a ACAP. De acordo com a Associação Automóvel de Portugal (ACAP), confirma-se “a desaceleração do crescimento do mercado verificada nos primeiros meses do […]

A venda de automóveis ligeiros e pesados em Portugal aumentou 31,3% em outubro, face a igual mês do ano anterior, para 14 562 veículos, abrandando o ritmo face à evolução anterior, indica a ACAP.

De acordo com a Associação Automóvel de Portugal (ACAP), confirma-se “a desaceleração do crescimento do mercado verificada nos primeiros meses do ano, o que se deve ao facto de o mercado automóvel ter iniciado a sua recuperação na segunda metade de 2013”.

Em setembro, de acordo com informações anteriores da associação, as vendas no mercado automóvel tinham registado um aumento de 35,7% em relação ao mês homólogo de 2013.

Desde o início do ano até ao final de outubro, foram comercializadas 141 587 unidades, entre ligeiros e pesados, o que se traduziu num crescimento homólogo de 37,6% (38,4% até final de setembro).

“Mesmo com a variação positiva registada em outubro, o mercado continua a manter-se abaixo dos níveis registados em anos anteriores a 2011”, sublinha a ACAP, segundo a qual o número de veículos comercializados nesse mês “continua a situar-se abaixo da média dos últimos quinze anos” (13.547 unidades).

No que respeita aos ligeiros de passageiros, venderam-se 11.780 veículos em outubro, mais 29,6% do que no mesmo mês do ano anterior, e mais 34,7% em termos acumulados (para 119.186 unidades).

Quanto aos comerciais ligeiros, o crescimento em outubro foi de 46,4%, para 2.419 unidades, e desde o início do ano o mercado registou um aumento de 58,5% (para 19.988 veículos).

Já nos pesados de passageiros e de mercadorias, deu-se um acréscimo de 5,8% em outubro, para 363 unidades, e um aumento de 35% desde o início do ano, para 2.413 veículos, face ao período homólogo do ano anterior.

Recomendadas

PRR, mesmo sem inflação, sofreria dos mesmos problemas

Execução da bazuca enfrentaria dificuldades com burocracia e mudanças na economia global, reforçando papel dos contabilistas.

Cabo Verde quer reforçar combate à pobreza com aumento de 25% da taxa turística

Governo liderado por Ulisses Correia e Silva prevê arrecadar 8,6 milhões de euros com o aumento da taxa, que serão canalizados para o fundo de financiamento Programa Mais, Mobilização pela Aceleração da Inclusão Social, concebido para apoiar projetos de combate à pobreza extrema e exclusão social, segundo a Forbes África Lusófona.

Receitas do turismo estão 14% acima das do pré-pandemia

Os resultados até agora obtidos são animadores, contudo a crescente subida dos preços traz alguma apreensão