Venezuela: Último jornal impresso crítico do governo deixa formato papel

O secretário-geral do Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Imprensa diz que este é um produto do desrespeito pelo pensamento crítico e diferente.

O El Nacional, último jornal nacional impresso na Venezuela crítico do Governo, deixou o formato em papel, e passa a estar apenas disponível em versão online.

Este é um “encerramento que não ocorre isoladamente, é produto e uma asfixia, produto de um desrespeito pelo pensamento crítico e pensamento diferente”, disse o secretário-geral do Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Imprensa (SNTP), Marco Ruiz, durante uma conferência de imprensa em Caracas.

O jornal, que teve a sua primeira publicação há cerca de 75 anos, enfrentou nos últimos anos uma asfixia financeira e perseguição política por parte do governo, de acordo com os donos daquele órgão de comunicação.

O seu editor-chefe, Miguel Henrique Otero, que está exilado em Espanha, disse esta sexta-feira, na última edição impressa do jornal, que a cessação da circulação é “uma consequência de anos de perseguição do Governo”.

“O Governo não nos deu acesso a papel para fazermos o jornal”, acusou.

“Este comportamento deixa em evidência a natureza autoritária e ditatorial do governo que não resiste a críticas porque não tem resposta às necessidades dos cidadãos”, denunciou o editor-chefe.

O Governo venezuelano tem controlado o papel importado e entregue aos jornais há cerca de cinco anos, medida que segundo o El Nacional e a Associação Nacional de Jornalistas (CNP) beneficia apenas aqueles que são coniventes com a política do Governo.

Nos últimos tempos o jornal continuava ‘vivo’ graças a doações dos media locais e de vários países.

Na quinta-feira, o administrador do jornal, Jorge Makiniotis, afirmou que nos últimos 15 anos o jornal eliminou 600 empregos.

De acordo com a União Venezuelana de Imprensa, desde que Maduro chegou ao poder em 2013 mais de 100 publicações tiveram de fechar, incluindo 70 jornais.

“Estamos a falar do desaparecimento de cerca de 60% dos media que existiam em 2013”, disse a União Venezuelana de Imprensa.

Recomendadas

Europa poderá enfrentar um apagão da rede móvel neste inverno

Várias autoridades do sector de telecomunicações receiam que um inverno rigoroso, aliado às ameaças vindas da Federação Russa, coloque a infraestrutura de telecomunicações da Europa numa situação debilitante, até porque geralmente os países europeus não possuem geradores com capacidade para fazer backup de energia por períodos mais longos.

Rácio de crédito malparado na banca melhora para 3,4% no segundo trimestre

A queda “reflete a diminuição dos NPL (-4,0%) e o aumento dos empréstimos produtivos (+1,8%)”, explica o supervisor da banca. A rentabilidade também melhorou.

Programa “Consolidar” mobiliza 752 milhões para fomentar a consolidação de PME

Foram divulgadas as 14 sociedades que iram constituir 14 novos fundos de capital risco. A dotação global disponível é de 752 milhões de euros para capitalizar empresas, promovendo o crescimento, expansão e consolidação de projetos empresariais (PME e mid caps).
Comentários