“Via Verde rejeita categoricamente qualquer acusação de burla” que circule no Portal da Queixa

“Sempre que um cliente passa numa portagem e a transação falha, a Via Verde comunica diretamente com o cliente a dar conta de um eventual problema”, justifica. “Este alerta visa sempre proteger os clientes. Se o problema for confirmado, o cliente pode subscrever um plano Via Verde ou, se assim preferir, comprar um identificador novo”, esclarece fonte oficial da empresa ao JE.

“A Via Verde rejeita categoricamente qualquer acusação de burla, incompatível com os valores e a prática da marca”. Foi assim que respondeu fonte oficial da empresa ao Jornal Económico, relativamente às reclamações no Portal da Queixa sobre um alegado esquema com identificadores.

A plataforma online comunicou ter “verificado um crescimento de 50% do número das queixas em novembro, em comparação com o mês anterior”. Em causa estariam comunicações via e-mail em que a Via Verde solicita aos clientes a substituição do dispositivo, por motivo de falhas no funcionamento.

Contudo, todos os consumidores queixosos alegam que os aparelhos estão a funcionar corretamente.

A Via Verde diz que, tendo como objetivo garantir o melhor serviço aos seus clientes, “sempre que um cliente passa numa portagem e a transação falha, a Via Verde comunica diretamente com o cliente a dar conta de um eventual problema”.

Assim, o contacto direto existe “quando aparece uma luz amarela na passagem da portagem, indiciando um potencial problema. Este alerta visa sempre proteger os clientes, tendo em conta que em causa estão transações financeiras cuja segurança é fundamental. Se o problema for confirmado, o cliente pode subscrever um plano Via Verde ou, se assim preferir, comprar um identificador novo”, esclarece a mesma fonte ao JE.

“A decisão final é sempre do cliente”, reforça, querendo afastar as acusações de consumidores queixosos sobre pressões para fidelizar clientes, mudando para planos mensais ou anuais quando, alegam, o dispositivo em causa está a acender a luz verde na passagem de portagens e pórticos e/ou continuam a receber os registos para pagamentos dentro da normalidade.

Relacionadas

Via Verde acusada de alegado esquema com identificadores. Reclamações duplicam no Portal da Queixa

Em causa estão denúncias de que a empresa, recorrendo a uma comunicação via e-mail, solicita aos clientes a substituição do dispositivo, por motivo de falhas no funcionamento. Porém, todos os queixosos alegam que os aparelhos estão a funcionar. A Via Verde está “a ser alvo de dezenas de reclamações, tendo verificado um crescimento de 50% do número das queixas em novembro, em comparação com o mês anterior”, informa a plataforma.
Recomendadas
litio

Lítio: Comissão de Avaliação dá parecer favorável à mina em Montalegre

A Lusorecursos Portugal Lithium confirmou um parecer favorável por parte da Comissão de Avaliação da Mina do Romano, que dá luz verde à exploração mista de lítio (céu aberto e subterrânea) em Montalegre.

BPI alarga comissão executiva para seis membros

O Conselho de Administração do Banco BPI informou que a sua Comissão Executiva será alargada de cinco para seis membros, no mandato 2023-25.

Da “ponta do iceberg” ao “deboche” e ao “estado de negação” de Costa. A TAP aos olhos dos partidos

Oposição critica em peso a forma como o Governo gere o dossiê TAP e pede mais transparência em relação aos salários e bónus dos administradores da companhia aérea nacional. Caso Alexandra Reis é apenas “a ponta de um iceberg”, diz PAN. “É a vergonha socialista no seu melhor”, acusa Chega.
Comentários