Vic Properties negoceia com a Oaktree venda da emissão de obrigações 250 milhões

Segundo as nossas fontes a Vic Properties, que tem sede no Luxemburgo, está a negociar com a Oaktree uma operação de refinanciamento cuja data limite para chegar a acordo acaba em 28 de setembro.

A Vic Properties, o promotor imobiliário do Prata Riverside Village, que comprou ao Novobanco os terrenos da Matinha e a Herdade do Pinheirinho, adiou para 28 de setembro o prazo de renegociação da dívida emitida no valor de 250 milhões de euros, com juro de 3% e maturidade em 2025, as “Secured Pre-IPO Convertible Bonds” – obrigações convertíveis Pré-IPO com garantia.

A extensão da primeira data para executar a put option (opção de venda) passou de 28 de maio de 2022 para 28 de setembro de 2022. Esta alteração ocorre depois de, em maio, a Vic Properties, detida a 100% pela alemã Aggregate Holdings, ter lançado um processo de solicitação de consentimento aos detentores das Obrigações Vic Bonds com o objetivo de aprovar uma resolução por escrito para efetuar determinadas modificações nos termos e condições das Obrigações Vic, incluindo, entre outras modificações, a prestação de uma garantia por parte da Aggregate Holdings.

Segundo as nossas fontes, a Vic Properties, que tem sede no Luxemburgo, está a negociar com a Oaktree uma operação de refinanciamento cuja data limite para chegar a acordo acaba em 28 de setembro.

Questionada a Vic Properties, liderada por João Cabaça, diz que não faz comentários sobre operações em curso, o que inclui os parceiros com quem trabalham. Mas fontes próximas ao processo disseram ao Jornal Económico que “as conversas continuam ativas e no bom caminho”.

Na publicação oficial do anúncio do início do processo de consentimento dos obrigacionistas para a modificação dos termos e condições das ViC Bonds, é revelado que a “Aggregate e a Vic estão em estágios avançados de negociação de certas opções de refinanciamento que atualmente devem ser concluídas bem antes de 28 de setembro de 2022, embora não haja garantia de que a transação de refinanciamento seja concluída com sucesso”.

As alterações às caraterísticas da emissão de 250 milhões, para além da extensão do prazo da put option, inclui uma opção de compra adicional que confere ao emitente a possibilidade de resgatar as Obrigações Vic a qualquer momento mediante aviso prévio; um aumento no preço de resgate das Obrigações Vic a pagar no momento do reembolso; e a adesão da garantia da Aggregate às Vic Bonds, no Trust Deed (Escritura Fiduciária) e no Contrato de Agência (Agency Agreement), no que toca às obrigações de pagamento pelo emitente (Vic) nos termos da emissão. Um contrato de agência é um contrato legal que cria uma relação fiduciária, pelo qual a primeira parte concorda que as ações de uma segunda parte vinculam o principal a acordos posteriores feitos pelo agente.

No documento oficial com data de maio é dito que a Aggregate está em discussão com alguns dos obrigacionistas e espera que aprovem a Resolução Escrita em conformidade com o Trust Deed.

A Vic Properties Portugal tem um total de ativos de 1,55 mil milhões de euros, com um passivo de 902 milhões de euros, o que se traduz num net asset value de 648 milhões de euros).

Em 2019, a Vic Properties comprou ao Novobanco também os terrenos da Matinha por 140 milhões de euros. Neste caso a venda foi a pronto pagamento. Mas o banco financiou a Vic Properties na aquisição da Herdade do Pinheirinho em Melides, ainda que com um conservador loan-to-value de 33%, ou seja, a relação entre o empréstimo e o valor de um ativo adquirido. O empréstimo, segundo apurou o Jornal Económico, está garantido por hipotecas que cobrem 300% do financiamento.

Isto significa que, em caso de incumprimento, o Novobanco pode voltar a ficar com a Herdade do Pinheirinho.

A Herdade do Pinheirinho foi comprada ao Novobanco tendo o banco, a pedido do comprador, financiado em parte a aquisição da herdade que tem uma área de implantação de aproximadamente 200 hectares e acesso direto à praia, este projeto inclui hotéis, moradias, apartamentos, comércio e um Campo de Golfe.

Segundo uma notícia de 4 de julho do Financial Times e também da Bloomberg, o magnata do imobiliário Cevdet Caner é o novo CEO da Aggregate Holdings. O empresário austríaco também adquire 20% de participação no grupo imobiliário alemão que está em dificuldades, referem as notícias.

A Aggregate, sediada no Luxemburgo, já foi a maior acionista da Adler, um grupo imobiliário que possui 27.500 imóveis no norte e oeste da Alemanha, segundo o FT.

 

 

Relacionadas

Grupo alemão Adler viu ações caírem 45% após KPMG se recusar a assinar as contas de 2021

Trata-se do grupo centenário alemão de imobiliário – Adler Group – cujo um dos acionistas é também dono da Vic Properties que comprou ao Novobanco a Matinha e a Herdade do Pinheirinho. Segundo o FT, as ações do grupo chegaram a cair 46% na segunda-feira, depois de a empresa ter anunciado que o seu auditor, a KPMG, não assinou as contas, e de metade do Conselho de Administração se ter demitido.
Recomendadas

Supremo decide a favor de sindicato e TAP terá de pagar 50 milhões

O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) confirmou esta sexta-feira que foi notificado pelo Supremo Tribunal de Justiça (STJ), que decidiu a seu favor numa ação judicial que custará mais de 50 milhões de euros à TAP.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta sexta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta sexta-feira.

Escassez de trabalhadores no turismo? AHRESP apresenta nove medidas para resolver o problema

Desde a criação de estratégias criativas para atrair e reter profissionais à elaboração de um ‘Livro Verde do Mercado do Trabalho HORECA’, conheça as medidas apresentadas pela Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal.
Comentários