Vice-presidente da CMVM: “Reguladores perceberam que tinham de entrar na dinâmica das fintech”

Filomena Oliveira lança o alerta: é preciso cuidado ao navegar nesta maré de inovação. “Há que ter cautela, mesmo a navegar em águas calmas, porque elas podem ficar revoltas”, disse, no “1º Encontro Fintech”, organizado pela sociedade de advogados Sérvulo e da qual o Jornal Económico é media partner.

Cristina Bernardo

A ainda vice-presidente da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) considera que se existe “palco de inovação” esse é o mundo financeiro. Filha do mar, de pais marinheiros, a número dois do regulador dos mercados não poderia deixar de achar que as fintech são um “mar de oportunidades”.

“Nós, reguladores, normalmente vistos como conservadores e resistentes à mudança, também temos de nos ajustar a esta nova dinâmica, sob pena de naufragar em águas revoltas. A fintech não é o futuro é o presente”, afirmou Filomena Oliveira, na conferência “1º Encontro Fintech”, organizada pela sociedade de advogados Sérvulo e Associados e da qual o Jornal Económico é media partner.

Contudo, Filomena Oliveira lança o alerta: é preciso cuidado ao navegar. “Há que ter cautela, mesmo a navegar em águas calmas, porque elas podem ficar revoltas”, comparou. Ademais, recomenda o reforço da prudência para encontrar instrumentos de conhecimento e de capacitação [educação financeira].

“Os novos riscos não nos podem levar a abandonar as oportunidades, a favor do sistema, da economia e do bem estar social (…). A economia não existe para servir o setor financeiro. É exatamente o contrário, para servir todos nós”, frisou, no encontro que decorre esta quinta-feira no Hotel da Estrela.

Para Filomena Oliveira, a CMVM tomou a decisão de começar a conhecer este tipo de empresas, com projetos como o FinLab – que está a caminho de uma segunda edição ‘refrescada’ depois de uma fase de teste a este laboratório de inovação. “Os reguladores aperceberam-se de que tinham de entrar nesta dinâmica ou não tinham nada para regular”, defendeu.

Relacionadas

Sérvulo organiza “1º Encontro de Fintech”

Durante a tarde de amanhã, representantes destas empresas financeiras tecnológicas, dos bancos e dos reguladores discutirão o impacto das fintech no mercado de capitais, bem como aspetos transversais, entre os quais a proteção de dados.
Recomendadas

Reveja aqui. Mesa Redonda: Futuro das TIC

O evento organizado pelo Jornal Económico decorre esta sexta-feira, no ISEG, em Lisboa. Na mesa, estão temas como os desafios e tendências da cibersegurança, bem como as dificuldades que a transformação digital traz às empresas. Acompanhe em direto na JE TV.

Hoje: Conheça o futuro das TIC na Mesa Redonda do Jornal Económico

O evento organizado pelo Jornal Económico decorre esta sexta-feira, no ISEG, em Lisboa. Na mesa, estão temas como os desafios e tendências da cibersegurança, bem como as dificuldades que a transformação digital traz às empresas. Acompanhe em direto na JE TV.

PremiumConferência do Jornal Económico debateu os grandes temas de 2023

O auditório principal do Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG) recebeu na passada sexta-feira, 16 de setembro, a conferência do sexto aniversário do Jornal Económico.
Comentários