Vício de videojogos passa a ser considerado doença mental

Com a publicação do manual da Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde, a dependência dos videojogos será classificada como um distúrbio psiquiátrico.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) vai incluir o vício dos videojogos na sua lista internacional de doenças como distúrbio psiquiátrico, informa o “Diário de Notícias” (DN) desta quarta-feira. Os médicos aplaudem a medida e dizem que vai facilitar o diagnóstico e o tratamento.

A partir de 2018, com a publicação da nova edição do manual da Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde, a dependência dos videojogos será classificada como um distúrbio psiquiátrico, deixando de ser considerada um vício.

Segundo Pedro Hubert, psicólogo especialista na adição em videojogos, citado pelo DN, a medida da OMS representa “a confirmação de que esta é uma questão de saúde ‘mental’, que é grave. É muito importante haver o reconhecimento de que não é um problema simples de alguns adolescentes. Há uma minoria que tem problemas muito graves e que têm que ser diagnosticados”.

Geralmente, quem está “viciado” em videojogos isola-se da família e dos amigos, tem problemas de sono e com a alimentação e o rendimento escolar tende a piorar. De acordo com o DN, em 2017 registaram-se 48 mil jogadores patológicos e 96 mil jogadores abusivo em Portugal. Muitos são jogadores a dinheiro, mas também há pesoas dependentes de videojogos. No final de 2016, 135 pessoas estavam a ser tratadas no Serviço Nacional de Saúde por vício do jogo a dinheiro.

Relacionadas

Mil jogadores por mês pedem para ser impedidos de apostar ‘online’ em Portugal

Na tentativa de fugir ao vício os jovens pedem para serem impedidos de jogar. As apostas online foram legalizadas em Portugal há dois anos.

Segurança Social junta adolescente “viciado em jogos” com toxicodependes

Tribunal tomou decisão com base nas informações dadas por uma técnica da Segurança Social.
Recomendadas

António Costa recusa que situação do ministro da Saúde seja “um caso”

Em declarações aos jornalistas no final da cerimónia que assinala a Implantação da República, em Lisboa, António Costa considerou que se está “a abusar talvez um pouco da palavra casos”.

Incompatibilidades de ministros devem cessar logo que há perceção, avisa Marcelo

O Presidente da República considerou hoje, questionado sobre o caso do ministro da Saúde, Manuel Pizarro, que as incompatibilidades com o exercício de cargos governativos devem cessar logo que há a perceção da sua existência.

Investigadores da UC testam técnica inovadora no tratamento do cancro do pulmão

Uma equipa de investigadores da Universidade de Coimbra testou, pela primeira vez em Portugal, a Imuno-PET, uma técnica inovadora que pode ajudar a prever a resposta aos tratamentos de imunoterapia, terapêutica utilizada em doentes com cancro do pulmão.
Comentários