Vídeojogos: vendas quebraram 12% em 2019 mas ‘best sellers’ bateram recordes

Lançamento de novas consolas em 2020 quebrou as vendas no mercado de vídeojogos mas os títulos de maior sucesso bateram recordes.

É tempo de balanço na indústria dos vídeojogos e com o lançamento da PlayStation 5 e da Xbox Series X a ser preparado pela Sony e Microsoft, respetivamente, já é possível perceber como pode ser o próximo ano nesta indústria. De uma forma geral, e de acordo com dados do NPD group, citados pela Business Insider, a antecipação da chegada ao mercado de novas consolas não ajudou à venda de jogos, registando-se uma quebra de 12% da venda de títulos. No entanto, os jogos ‘campeões de venda’ bateram recordes em 2019, especialmente títulos como “Call of Duty” e “Pokémon”.

De acordo com os dados do NPD group, oito dos dez títulos que mais venderam em 2019 foram sequelas diretas. Os outros dois jogos mais vendidos foram “Star Wars Jedi: Fallen Order”, lançado um mês antes do lançamento do filme que encerra a terceira trilogia, e “Anthem”, um novo título dos criadores de “Mass Effect” e “Dragon Age”.

O título “Call of Duty: Modern Warfare” ganhou mais de 600 milhões de dólares no fim-de-semana de lançamento em outubro e, de acordo com a crítica, contou com a melhor promoção digital de um jogo da saga “Call of Duty”.

Recomendadas

Cinco milhões para ações de emergência na serra da Estrela até final do ano

O ministro do Ambiente e da Ação Climática, Duarte Cordeiro, disse que o Fundo Ambiental disponibiliza, até ao final do ano, cerca de cinco milhões de euros para ações de emergência.

Costa Silva: Próximos anos não vão ser “cor-de-rosa” para a economia portuguesa

António Costa Silva, ministro da Economia, afirma que “não é com receitas do passado que vamos resolver os problemas”, defendendo que “para resolver os problemas de curto prazo, precisamos de uma visão de longo prazo”.

PRR: Inspeção-Geral de Finanças já deu parecer positivo a pagamento da 2.ª tranche

A Inspeção-Geral das Finanças (IGF) deu parecer positivo ao pagamento da segunda tranche do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), no valor de cerca de dois mil milhões de euros, seguindo agora o pedido de Portugal para Bruxelas.
Comentários