PremiumVieira da Silva: “Não está no horizonte a falência da Segurança Social”

Vieira da Silva acredita que não está no horizonte a rutura da Segurança Social, mas, antes, eventualmente, uma situação deficitária. Diz, por outro lado, que um acordo sobre salários na Concertação Social poderá não ser fácil, mas a atual conjuntura torna-o mais necessário.

Recuperação e incerteza. São essas as duas palavras que marcam o Orçamento do Estado para 2022, na visão de José António Vieira da Silva.

Neste cenário, o ex-ministro do Trabalho salienta a importância de fechar, na Concertação Social, um acordo sobre os salários, ainda que preveja dificuldades neste processo. Já quanto à sustentabilidade da Segurança Social, o socialista afasta a falência, mas admite que poderão ser necessárias novas fontes de financiamento.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

EUA. Fed mantém em aberto subidas consecutivas de 50 pontos base

A Reserva Federal mostra-se preparada para mais subidas na ordem dos 50 pontos base, como ocorreu em maio, e reconhece que uma política monetária restritiva poderá ser necessária para conter a inflação, que se mantém perto dos máximos de 1981 registados em março.

CCDR reconduz vice-presidente da Comissão Arco Atlântico

A Comissão Arco Atlântico tem como principal objetivo promover, através da cooperação inter-regional, o desenvolvimento das regiões que a integram (Irlanda, França, Espanha e Portugal). Teresa Almeida, foi reconduzida no cargo de Vice-presidente.

IRS Jovem passa a abranger doutorados até aos 30 anos

Os deputados disseram “sim” à proposta de alteração do PS que muda o IRS Jovem, alargando o seu potencial relativamente aos doutorados.
Comentários