PremiumVips abre cadeia de restaurantes italianos em Lisboa

Com a abertura do restaurante Ginos, o grupo espanhol reforça o investimento em Portugal, uma década depois de ter trazido a Starbucks.

Com a zona da Expo, em Lisboa, como pano de fundo, o Grupo Vips acaba de abrir o seu 122º restaurante da cadeia Ginos, de comida italiana, o primeiro investimento feito fora de Espanha, o mercado de origem da empresa.

O Grupo Vips é um dos líderes do setor da restauração em Espanha que gere em Espanha e Portugal, em propriedade ou franchising, seis marcas, designadamente a Vips, Vips Smart, Ginos, Starbucks, Fridays e Wagamama. Soma atualmente mais de 450 estabelecimentos e atingiu, em 2017, uma faturação de 415 milhões de euros.

A Ginos, com mais de 120 estabelecimentos em Espanha, 1.800 colaboradores e uma faturação de 90 milhões de euros no ano passado, é uma cadeia de restaurantes especializada em gastronomia italiana que se destaca pelos espaços modernos, acolhedores e informais. Criada nos finais dos anos 80 pelo Grupo Vips, oferece uma viagem por Itália através de uma carta gastronómica, composta por pratos artesanais e receitas de origem italiana, desde saladas, massa, pizza, ou sobremesas, apostando na personalização ao permitir que cada cliente crie os seus pratos.

 

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Fitch Rating antecipa ano desastroso para o sector imobiliário

Os países que preferiram as taxas variáveis e permitiram um forte aumento do preço das casas estão especialmente vulneráveis à inflação e à queda da procura. Portugal não faz parte do estudo, mas tem tudo para fazer parte do pior cenário.

Revolut nomeia Elisabet Girvent para responsável de vendas em Espanha e Portugal

O seu objetivo passa por continuar a expandir os serviços da Revolut Business na região. A Revolut Business é o serviço bancário empresarial da Revolut. Esta solução encontra-se em funcionamento desde 2017 e foi concebida para atender às necessidades de start-ups, PME familiares e grandes empresas tecnológicas.

Noção de mercados emergentes na banca está morta, diz Mckinsey. Ásia concentra crescimento

Os bancos na Ásia-Pacífico podem ganhar com uma perspectiva macroeconómica mais forte, enquanto que os bancos europeus enfrentam uma perspectiva mais sombria. “No caso de uma longa recessão, estimamos que a rendibilidade dos bancos a nível mundial possa cair para 7% até 2026 e para baixo dos 6% nos bancos europeus”, diz a Mckinsey.
Comentários