Visa perde mais de 55 milhões de euros após suspender operações na Rússia

Nos últimos seis meses a Visa recebeu apenas 4% da sua receita em operações na Federação russa.

A Visa sofreu uma perda de 60 milhões de dólares (56,86 milhões de euros) devido à suspensão das operações na Rússia.

As despesas da Visa sucederam a sua decisão e a da Mastercard de limitar as operações na Rússia devido à guerra na Ucrânia. Os cartões Visa e Mastercard de todos os bancos russos continuam a funcionar no país.

Num relatório divulgado pela empresa e citado pela “Interfax”, esta quarta-feira, a empresa explica que “os resultados do ano atual incluíram 127 milhões de dólares (120,36 milhões de euros) em perdas líquidas de investimentos de capital, 40 milhões de dólares (37,90 milhões de euros) em amortização de ativos intangíveis adquiridos e custos não recorrentes relacionados à aquisição e 60 milhões de euros (56,86 milhões de euros) de despesas relacionadas à Rússia-Ucrânia”.

A empresa apontou que, nos últimos três e seis meses, “registou uma grande perda em despesas gerais e administrativas de 35 milhões de dólares com a desconsolidação da nossa subsidiária russa”.

“Também incorremos em encargos de 25 milhões de dólares em despesas com pessoal como resultado de medidas tomadas para apoiar os nossos funcionários na Rússia e na Ucrânia”, disse a Visa, salientando que nos últimos seis meses, recebeu apenas 4% da sua receita em operações na Federação Russa.

A receita da Visa no primeiro trimestre de 2021 totalizou os 7,2 mil milhões de dólares (6,83 mil milhões de euros), um aumento de 25% em relação ao ano anterior. O lucro líquido da Visa foi de 3,6 mil milhões de dólares (3,41 mil milhões de euros).

Relacionadas

Economia russa deverá encolher 8,8% em 2022

Num cenário mais conservador a economia russa poderá contrair 12,4%.

Ucrânia: Rússia fala de explosões em depósito de armas junto à fronteira

A delegação do Ministério de Emergências russo na região de Belgorod disse que as explosões não causaram danos em edifícios residenciais ou casas, nem feridos entre a população civil.

Sessenta e dois dias de invasão russa na Ucrânia. Situação no terreno

O 62.º dia de conflito na Ucrânia é marcado pela reunião em Moscovo entre o secretário-geral da ONU e o ministro dos Negócios Estrangeiros russo e com Putin, mas também pelas estimativas em alta do número de refugiados criados pela invasão e o anúncio de mais armamento para Kiev
Recomendadas

Santander Totta com aumento de capital de 135 milhões totalmente realizado

O Banco liderado por Pedro Castro e Almeida concluiu o aumento de capital que tinha sido aprovado a 4 de maio.

TAP. Ministro diz que não é tema polémico e defende aposta semelhante à da ferrovia

O ministro das Infraestruturas defendeu esta terça-feira, em Oeiras, que a TAP não é um tema polémico e defendeu uma aposta na aviação, semelhante à que foi realizada na ferrovia, com a participação dos setores público, privado e da academia.

CEO da Microsoft destaca plataforma para ajudar a Ucrânia criada por português

Satya Nadella diz que o “Ukraine Live Aid”, para prestar apoio aos refugiados ucranianos, foi um dos trabalhos “significativos” e “muito necessários” que feitos com as Power Pages da Microsoft.
Comentários