Visabeira com lucros de 37,8 milhões em 2021

O resultado líquido do Grupo Visabeira foi de 37,9 milhões de euros, representando um aumento de 72% face a 2020. Já o volume de negócios consolidado atinge 1.171 milhões representando um crescimento de 21,9% face ao ano 2020. 

O resultado líquido do Grupo Visabeira foi de 37,9 milhões de euros, representando um aumento de 72% acima do exercício de 2020. Já o volume de negócios consolidado atinge 1.171 milhões de euros representando um crescimento de 21,9% face ao ano 2020.

O grupo destaca que o mercado externo representa 77% do volume de negócios, repartidos entre Europa (59%), América, Ásia e Oceânia ( 9%) e 9% África Europa. Só 23% do volume de negócios foi gerado em Portugal.

“Nos mercados externos, o Grupo Visabeira mantém como principal estratégia, o crescimento das suas atividades core – prestação de serviços de engenharia de redes de telecomunicações e energia – para os principais operadores europeus e o reforço da sua posição nestes mercados. Em 2021, estes mercados representam 72,6% do volume de negócios do Grupo”, diz a empresa liderada por Nuno Terras Marques .

A Visabeira diz ainda que 2,9 mil milhões de euros de volume de negócios em carteira já estão contratualizados.

O EBITDA atingiu os 183 milhões de euros, mais 17,8% do que no ano anterior e o resultado operacional ultrapassou os 100 milhões de euros. O resultado operacional ultrapassa os 100 milhões de euros em 2021.

“O crescimento por via orgânica foi o pilar principal do notável desempenho da atividade do grupo, nomeadamente na área de negócio de engenharia de redes de telecomunicações e energia”, diz o grupo.

A Visabeira é um conglomerado gestor de participações sociais. Assim a Visabeira Global, holding que integra os negócios na área das telecomunicações energia, tecnologia e construção, regista um volume de negócios em 2021 de 983 milhões de euros, mantendo-se assim como a área de negócios com maior peso no grupo, representando 84% do volume de negócios.

“Face ao ano anterior, o volume de negócios cresce 25%, o que demonstra uma excelente performance operacional nas atividades de serviços de engenharia de redes de telecomunicações e energia tanto a nível nacional e internacional, assim como nas operações próprias de televisão por cabo, em Angola e Moçambique. Ainda no continente africano realce para a entrada do Grupo em Marrocos e e em São Tomé e Príncipe, através da aquisição da Companhia Santomense de Telecomunicações”, lê-se no comunicado.

A Visabeira Indústria atinge 153 milhões de euros, representando um aumento de 7% face ao mesmo período de 2020, contribuindo com 13% para o volume de negócios consolidado do Grupo Visabeira. “Nesta área, importa evidenciar os excelentes resultados alcançados pela Vista Alegre, apesar do severo confinamento devido à pandemia que marcou o primeiro semestre do ano 2021, registou 117 milhões de euros de volume de negócios, o que representa um crescimento de cerca de 6% face ao exercício anterior, tendo o resultado líquido atingido os 1,6 milhões de euros”, refere a Visabeira.

A Visabeira Turismo, Imobiliária e Serviços, “num ano fortemente condicionado pela pandemia, com o encerramento de todas as unidades hoteleiras durante praticamente o primeiro semestre do ano, registou um volume de negócios de 34 milhões de euros, o que representa cerca de 3% do volume total de atividade do grupo”, acrescenta.

“O mercado Europeu, excluindo Portugal, representa uma dimensão cada vez mais relevante para o Grupo”, salienta ainda a empresa lembrando que no final de 2021, o seu volume de negócio alcançou os 687 milhões de euros, representando 59% do volume de negócios total, sendo os principais mercados França, Reino Unido, Bélgica, Alemanha, Dinamarca, Itália, Espanha e Suécia.

“Os Estados Unidos contribuíram com 91 milhões de euros para o crescimento exponencial do volume de negócios na América, Ásia e Oceânia que registou um valor de 106 milhões de euros. África teve um peso de cerca de 9% do total do volume de negócios do Grupo Visabeira. Este mercado contribuiu com cerca de 102 milhões de euros para o volume de negócios”, refere o comunicado.

 

Recomendadas

PremiumSystemic tem cinco novos investidores

Carlos Loureiro, José Galamba de Oliveira, Raúl Marques, Rui Leão Martinho e Vítor Nunes são os novos sócios da consultora fundada por Sofia Santos, que apoia empresas na área da sustentabilidade e ESG.

Porquê é que o teletrabalho é usado nuns países e noutros não?

A forma como se trabalha mudou radicalmente em vários países, com as empresas a fazer a transição de funções no escritório para total ou parcialmente remotas, e com os trabalhadores a incentivar a mudança. Contudo, nem todas as nações aderiram.

PremiumVenda do Atlântico avança e espanhóis fora da corrida ao BPG

O pedido de compra do Atlântico Europa pelo Well Link Group está finalmente a evoluir, depois do acordo assinado no inicio de 2020. Já o BPG optou por abrir o processo competitivo de venda.
Comentários