Vista Alegre cancela aumento de capital

“Em consequência, e atentas as condições a que a oferta de distribuição lançada pela sociedade e pela Visabeira Indústria foi subordinada, a oferta pública não será executada”, explica a empresa de porcelanas.

“A Vista Alegre Atlantis (VAA) anunciou esta terça-feira, antes da abertura do mercado, que cancelou o aumento de capital. Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a empresa de porcelanas refere que a decisão se deve à “conjuntura adversa nos mercados internacionais que se tem verificado”.

“Em consequência, e atentas as condições a que a oferta de distribuição lançada pela sociedade e pela Visabeira Indústria foi subordinada, a oferta pública não será executada”, explica a Vista Alegre, na nota divulgada esta manhã pela CMVM, acrescentando que a anulação surge “apesar de diversos investidores nacionais e internacionais terem participado no roadshow recentemente realizado”.

A operação tinha como objetivo aumentar o capital e dispersar mais de 17% do capital em bolsa, de forma a permitir subir para o PSI-20.  Uma parte era destinada a investidores institucionais e outra parte ao retalho.

O conselho de administração do regulador dos mercados tinha aprovado a 27 de novembro o prospeto relativo à oferta pública da Vista Alegre, que deveria dirigir-se ao público em geral e ir para o mercado dois dias depois, a 29 de novembro. Tratava-se de uma oferta pública de venda de 4.572.275 ações já emitidas (OPV) e uma oferta pública de subscrição de 4.572.275 novas ações (OPSA).

A 8 de outubro, o grupo Visabeira, atual acionista maioritário da VAA, deu conta da intenção de aumentar o capital da Vista Alegre em 17,4 milhões de euros, através da emissão de 21,77 milhões de novas ações, de forma reforçar o capital disperso em bolsa (“free float“) para os 25%. Assim, a sua participação iria cair para 70% (dos atuais 94,14%), mas iria beneficiar com o alargamento da sua base acionista e de uma maior liquidez das ações da VAA.

A oferta terminava esta quarta-feira, 12 de Dezembro, e a estreia das novas ações em bolsa estava prevista para 19 deste mês.

Esta foi a segunda empresa a cancelar uma operação de mercado de capitais este ano. A outra foi a  Sonae SGPS, que anulou em Outubro a oferta pública de venda do negócio de retalho (o IPO da Sonae MC).

Vista Alegre: estes são os planos para continuar a crescer até 2021 (c/ vídeo)

Notícia atualizada às 8h16

Recomendadas

IGCP realiza na quarta-feira leilões de dívida a três e nove anos de até 1.000 milhões de euros

O IGCP anunciou hoje que vai realizar em 12 de outubro dois leilões de Obrigações do Tesouro (OT) a três e nove anos com montante indicativo entre 750 e 1.000 milhões de euros.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta sexta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta sexta-feira.

Criação de empresas cresce 17% até ao final do terceiro trimestre

“Apesar deste crescimento, a evolução trimestral em 2022 tem registado um abrandamento consecutivo: no primeiro trimestre, o crescimento de novas empresas foi de 34%, caindo depois para os 9% no segundo e para os 7% no terceiro. Ainda assim, é expectável que o ano de 2022 termine com um número de constituições superior ao de 2021”, informa o comunicado.
Comentários