Vistos ‘gold’: Investimento cai 6,8% em novembro para 46,6 milhões de euros

A compra de bens imóveis somou no mês passado um investimento de 36,9 milhões de euros, dos quais 8,5 milhões de euros para a reabilitação urbana, enquanto a transferência de capitais arrecadou 9,7 milhões de euros.

O investimento captado através dos vistos ‘gold’ caiu 6,8% em novembro, em termos homólogos, para 46,6 milhões de euros, de acordo com contas feitas pela Lusa com base nos dados estatísticos do SEF.

Em novembro, o investimento resultante do programa de Autorização de Residência para Investimento (ARI) somou 46.669.413 euros, o que corresponde a um recuo de 6,8% face a igual mês de 2020 (50 milhões de euros).

Relativamente a outubro (46,4 milhões de euros), o investimento captado permaneceu praticamente em linha (+0,4%).

De acordo com os dados estatísticos do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), em novembro foram concedidos 83 vistos ‘gold’, dos quais 64 por via da aquisição de bens imóveis (24 para reabilitação urbana) e 19 através do critério de transferência de capitais.

A compra de bens imóveis somou no mês passado um investimento de 36,9 milhões de euros, dos quais 8,5 milhões de euros para a reabilitação urbana, enquanto a transferência de capitais arrecadou 9,7 milhões de euros.

Por países, em novembro foram concedidos 20 vistos ‘dourados’ aos Estados Unidos, enquanto a China, que tem liderado, obteve 19.

Ao Brasil foram concedidos 10, cinco à Turquia e outros cinco à Rússia.

Nos primeiros 11 meses do ano foram atribuídos 781 vistos ‘dourados’, dos quais 55 em janeiro, 100 em fevereiro, 73 em março, 98 em abril, 52 em maio, 67 em junho, 41 em julho, 64 em agosto, 61 em setembro, 87 em outubro e 83 em novembro.

Neste período, o investimento captado por via deste instrumento totalizou 415 milhões de euros, um recuo de cerca de 33% face aos 618,9 milhões de euros registados nos primeiros 11 meses de 2020.

O programa, que visa captar investimento, cumpriu nove anos em outubro, ultrapassando os 6.000 milhões de euros.

Assim, desde que o programa de concessão de ARI foi lançado, em outubro de 2012, até ao mês passado, foram captados por via deste instrumento 6.057.663.503,19 euros.

Desde montante, a maior parte corresponde à compra de bens imóveis, que soma até novembro 5.471.573.948,60 euros, sendo que a aquisição para reabilitação urbana totaliza 350.507.722,90 euros.

O investimento resultante da transferência de capitais é de 586.089.554,59 euros.

Desde a criação deste instrumento, que visa a captação de investimento estrangeiro, foram atribuídos 10.170 ARI: dois em 2012, 494 em 2013, 1.526 em 2014, 766 em 2015, 1.414 em 2016, 1.351 em 2017, 1.409 em 2018, 1.245 em 2019, 1.182 em 2020 e 781 em 2021.

Em mais de nove anos foram atribuídos 9.514 vistos por via de compra de imóveis, dos quais 974 tendo em vista a reabilitação urbana.

Por requisito da transferência de capital, os vistos concedidos totalizam 636 e 20 por criação de postos de trabalho.

Desde o início do programa foram atribuídas 17.014 autorizações de residência a familiares reagrupados, das quais 1.073 este ano.

Relacionadas

Vistos ‘gold’: Investimento sobe 62% em outubro para 46,4 milhões de euros

De acordo com os dados estatísticos do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), em outubro – mês em que o programa completou nove anos – foram concedidas 87 ARI, das quais 75 por via da aquisição de bens imóveis (28 para reabilitação urbana) e 11 através do critério de transferência de capitais.
Recomendadas

Valor da renda média desceu 15,4% em setembro. Primeira quebra desde janeiro

Valor baixou dos 1.412 euros para os 1.194 euros. No entanto, e face ao mesmo mês de 2021, o valor das rendas apresentou um aumento de 18,7%.

Portugueses compraram mais de metade dos apartamentos de projeto no Parque das Nações

Com um investimento de 30 milhões de euros, o ‘O’Living’ conta com 86 apartamentos, sendo que 44 já foram vendidos na sua maioria a famílias portuguesas.

Gestora de propriedades britânica investe 25 milhões na reabilitação do Lagoas Park

Henderson Park Capital tinha adquirido o edifício em 2020 e pretende modernizar durante os próximos quatro anos um espaço que alberga perto de 90 empresas.
Comentários