Vistos gold: “Não pensei demitir-me”, garante Paulo Portas

O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, afirmou hoje que não pensou demitir-se do cargo depois da investigação relacionada com a atribuição de vistos gold e da demissão de Miguel Macedo do Ministério da Administração Interna. “Não, não pensei em demitir-me”, declarou Paulo Portas à saída da audição na comissão parlamentar de Economia, que decorreu entre as 16:00 […]

O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, afirmou hoje que não pensou demitir-se do cargo depois da investigação relacionada com a atribuição de vistos gold e da demissão de Miguel Macedo do Ministério da Administração Interna.

“Não, não pensei em demitir-me”, declarou Paulo Portas à saída da audição na comissão parlamentar de Economia, que decorreu entre as 16:00 e cerca das 19:30.

Na audição, o deputado do PS Pita Ameixa tinha perguntado a Portas se tinha ponderado essa demissão.

“A demissão de Miguel Macedo foi de natureza pessoal”, disse nessa ocasião Paulo Portas, que reiterou não dever tecer qualquer comentário sobre o processo judicial em curso.

A Operação Labirinto, uma investigação relacionada com a atribuição de vistos gold, resultou já na detenção de 11 pessoas, cinco das quais ficaram em prisão preventiva, embora três possam ver a medida convertida em pulseira eletrónica.

O programa de vistos gold, criado em 2012, prevê a emissão de autorizações de residência em Portugal, com acesso ao espaço Schengen, a estrangeiros oriundos de fora da União Europeia que criem dez ou mais postos de trabalho em Portugal, comprem imóveis de valor igual ou superior a 500 mil euros ou façam transferências de capitais de pelo menos um milhão de euros.

OJE/Lusa

Recomendadas

Manuel Pizarro. “A consequência da violação destas regras é a demissão”, diz Chega

O Chega entregou, esta terça-feira, ao final da manhã “uma participação no Tribunal Constitucional para que abra um processo de averiguações”, explicou André Ventura.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta terça-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta terça-feira.

Marcelo defende que Forças Armadas são insubstituíveis e não um “luxo do presente”

O Presidente da República defendeu hoje que as Forças Armadas são insubstituíveis para construir a paz, papel que todos deveriam compreender, negando que estas sejam um “pergaminho do passado” ou um “luxo do presente”.