PremiumJoão Caiado Guerreiro: “Os vistos gold têm sido extremamente positivos para o país”

Área de Imigração deverá continuar a ser das mais dinâmicas da Caiado Guerreiro, apesar do anunciado fim dos vistos ‘gold’. Processo para cobrar cinco milhões de euros em honorários à Pharol vai a julgamento em fevereiro.

O advogado João Caiado Guerreiro, managing partner da Caiado Guerreiro, disse ao Jornal Económico (JE) que o processo em tribunal dos quase cinco milhões de euros em honorários não pagos pela Pharol tem julgamento agendado para o próximo mês de fevereiro. Em causa está uma ação cível sobre a dívida de prestação de serviços de assessoria jurídica a esta sociedade. O coordenador das áreas de Direito Comercial e M&A, Contencioso e Arbitragem e Financeiro e Mercado de Capitais na Caiado Guerreiro é o convidado do próximo “Falar Direito”, programa transmitido às segundas-feiras na JE TV, com versão em podcast no Spotify e outras plataformas.

A sociedade que João Caiado Guerreiro lidera apoiou recentemente a norte-americana Digital Turbine num investimento de 12 milhões de dólares na loja de aplicações portuguesa Aptoide, o que motivou também o debate sobre o sector tecnológico quer no contexto do capital de risco quer internamente, enquanto área de prática no escritório.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumCMVM está “completamente descontextualizada”

O Bastonário da Ordem dos Revisores Oficiais de Contas espera que o novo presidente da CMVM traga uma regulação e supervisão comparável à do BdP. Sector sente falta de recursos humanos, mas mantém otimismo cauteloso em 2023.

Howden assessorou venda dos fundos de reestruturação da ECS à DK Partners

A Howden, através da sua equipa de M&A com presença em Lisboa, assessorou o designado Project Crow, que consistiu na venda dos fundos de reestruturação geridos pela ECS e detidos pelos bancos à Davidson Kempner Partners (DK).

Abreu Advogados reforça área de Direito Financeiro com novo sócio

Pedro Ferreira Malaquias foi, até ao final de 2022, sócio da Úria Menéndez-Proença de Carvalho, onde coordenou o departamento financeiro e foi responsável pelas área de Direito Bancário e  Seguros.
Comentários