Vivapower Selfenergy agora é só uma

A Vivapower e a Selfenergy uniram-se formando um grupo empresarial de maior dimensão. O objetivo “é deixar bem vincada a sua marca no sector da energia, continuando a prestar serviços de excelência no domínio da eficiência energética e produção de energia com recurso a fontes renováveis”. As empresas, que já trabalhavam em conjunto em vários […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

A Vivapower e a Selfenergy uniram-se formando um grupo empresarial de maior dimensão. O objetivo “é deixar bem vincada a sua marca no sector da energia, continuando a prestar serviços de excelência no domínio da eficiência energética e produção de energia com recurso a fontes renováveis”.

As empresas, que já trabalhavam em conjunto em vários projetos, conseguem deste modo tirar partido das sinergias existentes, unificar equipas, convergir na capacidade do desenvolvimento integrado das atividades e otimizar custos operacionais.

A nova marca Vivapower Selfenergy prestará serviços nas áreas da consultoria, produção de energia com origem renovável, sistemas e soluções de eficiência energética, desenvolvimento e gestão de activos de energia e execução de contratos de desempenho energético destinado às empresas.

Rogério da Ponte, CEO da nova empresa, refere que “a Vivapower Selfenergy continuará a apostar na relação de confiança e proximidade com os clientes, mantendo o rigor e o profissionalismo, sustentado na experiência adquirida em mais de 10 anos no desenvolvimento de projetos com destaque na indústria, serviços, transportes, banca, saúde, hotelaria e sector público”.

OJE

Recomendadas

Inflação pode retirar competitividade às empresas portuguesas

Responsável da Fundação AIP considera que os custos nos transportes, aliados ao atual quadro político poderá levar a que esta não seja a melhor altura para o sector empresarial se expandir para os mercados mais longínquos. Investir na vertente digital é outro dos desafios.

Bancos sujeitos a coimas até 1,5 milhões se não aplicarem diploma do Governo para crédito à habitação

Está já em vigor, a partir deste sábado, o diploma que estabelece medidas destinadas a mitigar os efeitos do incremento dos indexantes de referência de contratos de crédito para aquisição ou construção de habitação própria permanente. Bancos têm 45 dias a partir de hoje para aplicar as medidas.

Ministra da Justiça diz que é preciso melhorar condições dos processos de recuperação de empresas

“A melhoria das condições de processos de recuperação [de empresas], sobretudo em períodos de insolvência e de dúvida, como o que atravessamos, é um desafio, mas um desafio que temos de concretizar”, afirmou Catarina Sarmento e Castro.