Vladimir Putin ordena retirada de maior parte das forças russas na Síria

“Em perto de dois anos, as forças armadas russas, em colaboração com o exército sírio, destruíram em grande parte os terroristas internacionais”, disse o presidente da Rússia.

Vladimir Putin

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, ordenou hoje a retirada da maior parte do contingente militar russo na Síria, numa visita surpresa à base de Hmeimim (noroeste da Síria), anunciou o Kremlin num comunicado.

“Em perto de dois anos, as forças armadas russas, em colaboração com o exército sírio, destruíram em grande parte os terroristas internacionais. Por isso, tomei a decisão de fazer regressar à Rússia a maior parte do contingente militar russo que está na Síria”, declarou Putin, citado pela agência noticiosa russa Interfax.

Putin, recebido na base russa de Hmeimim pelo Presidente sírio, Bashar al-Assad, o ministro da Defesa russo, Serguei Choigu, e o chefe das forças russas na Síria, o general Serguei Surovikine, não precisou quantos soldados russos permanecerão no país.

Segundo um comunicado da presidência síria, Assad agradeceu a Putin a “participação efetiva” da Rússia na luta “contra o terrorismo”, afirmando que “o que os militares russos fizeram não será esquecido pelo povo sírio depois do sangue dos seus mártires (russos) se ter juntado com o dos mártires do Exército Árabe Sírio na luta contra os terroristas”.

Na quinta-feira, Moscovo tinha anunciado a “libertação total” do território sírio do grupo radical Estado Islâmico, embora a organização ‘jihadista’ mantenha algumas bolsas de resistência no país.

“Vocês voltam vitoriosos a vossas casas, para junto dos vossos familiares, mulheres, filhos, amigos. A pátria espera-vos meus amigos”, adiantou Putin, segundo a Interfax.

“Se os terroristas levantarem novamente a cabeça, então atacaremos com uma força nunca vista”, advertiu, adiantando: “Nunca esqueceremos os mortos e as perdas causadas pela luta contra o terrorismo, na Síria e na Rússia”.

Lançada em 2015, a intervenção militar russa na Síria mudou a situação do conflito, permitindo nomeadamente às forças governamentais recuperar ao Estado Islâmico a antiga cidade de Palmira e expulsar os rebeldes do seu bastião em Alepo, no noroeste do país.

As declarações do Presidente russo foram divulgadas várias horas após a realização do discurso, quando a televisão russa Rossia 24 mostrava já o avião presidencial no Cairo, onde Vladimir Putin era esperado pelo Presidente egípcio, Abdel Fatah al-Sisi.

Relacionadas

Vladimir Putin: o Czar da Rússia pós-comunista recusa outra vez a reforma

Há uns meses, poucos acreditaram, apesar do que se dizia, que o presidente russo estivesse de partida. Afinal não estava: o mundo está demasiado atraente para alguém que fez a Rússia regressar ao topo deixar a viagem a meio.

Putin recandidata-se à presidência da Rússia em 2018

O anúncio da candidatura foi feito depois de um trabalhador de uma fábrica automóvel visitada por Putin lhe ter pedido “a prenda” de saber que o Presidente se apresentaria de novo às eleições.
Recomendadas

Rússia apoderou-se formalmente da central nuclear de Zaporijia

A central de Zaporijia, a maior central nuclear da Europa, está nas mãos das tropas russas desde o início de março.

Primeira-ministra dinamarquesa convoca eleições antecipadas para novembro

O Partido Social Liberal, uma das formações que dá maioria ao Governo social-democrata, tinha ameaçado Frederiksen com uma moção de censura se não convocasse eleições, após apresentar em junho um relatório crítico sobre a gestão feita pelo executivo em relação ao abate de milhões de visons, devido a uma mutação do coronavírus.

Prémio Nobel da Química para 3 cientistas responsáveis química ‘bioorthogonal’

O termo química ‘bioorthogonal’ refere-se a qualquer reação química que pode ocorrer dentro de sistemas vivos sem interferir nos processos bioquímicos nativos. O termo foi cunhado por Carolyn R. Bertozzi em 2003.
Comentários