Vodafone Portugal apresenta primeiro protótipo de smartphone 5G

Além da apresentação do protótipo, foi realizada a primeira videochamada 5G em Portugal, em ambiente de dealidade virtual, entre Lisboa e Orlando, nos Estados Unidos da América.

A Vodafone Portugal apresentou, pela primeira vez em Portugal, o protótipo de um smartphone 5G esta quarta-feira, à margem da final da 6.ª edição do Big Smart Cities, concurso de inovação tecnológia cujo foco deste ano foi o 5G. A apresentação decorreu em Lisboa, na sede da operadora cujo presidente executivo Mário Vaz afirmou tratar-se de um “marco histórico” que coloca a operadora “na linha da frente da inovação em Portugal”.

O protótipo 5G está ligado a uma rede pré-comercial da Ericsson, a empresa-parceira tecnológica da Vodafone Portugal com um chipset da Qualcomm Technologies Inc, uma subsidiária da Qualcomm Incorporated.

“Fomos das primeiras redes pré-comericiais assumidas com um protótipo da Qualcomm”, afirmou o diretor executivo para tecnologia (CTO) da operadora, João Nascimento, a quem coube a apresentação de “mais um significativo passo tecnológico no que diz respeito ao futuro da inovação em Portugal”.

O  protótipo de um smartphone 5G só foi possível com uma solução end-to-end pré-comercial da Ericsson – com uma antena de última geração Massive MIMO Air 6488 na faixa dos 3,6 GHz –, e o protótipo do smartphone da Qualcomm com chipset Snapdragon™ X50. Isto é, numa fase inicial a ligação a uma rede 5G só se será possível tendo por base a rede 4G. Só numa outra fase será possível a utilização de uma ligação 5G non-standalone (NSA).

“Vai ser a raiz de todos os smartphones existentes em 2019”, afirmou João Nascimento. Aos jornalistas, este responsável assegurou que, tirando o protótipo de smartphone, todo o restante equipamento está em fase pré-comercial e estará pronto para o lançamento do 5G, quando este acontecer. O dispositivo móvel foi construído de propósito para este tipo de testes e que não vai estar comercialmente disponível, mas o chipset da Qualcomm que integra, estará.

O CTO da Vodafone Portugal explicou que esta demonstração concretiza os critérios 5G NSA, fechados pela Indústria para a comercialização desta tecnologia.

Em comunicado, o presidente da Ericsson Portugal, Luís Silva, contou que  “estão reunidas todas as condições para o desenvolvimento da rede móvel do futuro, e a Ericsson orgulha-se de, juntamente com a Vodafone, estar na liderança desta revolução”. “Imagine-se o poder de uma indústria com 6 mil milhões de subscritores e o potencial que o 5G trará para todos estes intervenientes”, acrescentou.

Além da sessão com o protótipo, foi realizada a primeira videochamada 5G em Portugal, em ambiente de dealidade virtual, entre Lisboa e Orlando, nos Estados Unidos da América.

A demonstração, intitulada “Immersive Conference“, permitiu a realização de conferências dinâmicas à distância, com a apresentação de vídeos, fotografias, objetos em 3D, entre outros, sempre em ambiente de realidade virtual. Uma ligação deste tipo permitirá que pessoas em diferentes pontos geográficos comuniquem entre si em tempo real.

Recomendadas

“Sem CV e baseada no talento”. Accor lança campanha de recrutamento em Lisboa

A campanha ‘Carreiras para Talentos’ decorre no dia 11 de outubro, no Sofitel Lisbon Liberdade, das 09h00 às 18h00. Estão disponíveis vagas para posições de hotelaria e restauração em sete hotéis da área metropolitana de Lisboa – ibis, Mercure, Novotel e Sofitel.

TAP: SINTAC defende “revisão profunda” da política de atribuição de carros de serviço

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Aviação Civil (SINTAC) considerou hoje que suspender a aquisição de 50 carros para altos cargos da TAP foi a “atitude certa” e defendeu uma “revisão profunda” da política de atribuição de viaturas de serviço.

IGCP realiza na quarta-feira leilões de dívida a três e nove anos de até 1.000 milhões de euros

O IGCP anunciou hoje que vai realizar em 12 de outubro dois leilões de Obrigações do Tesouro (OT) a três e nove anos com montante indicativo entre 750 e 1.000 milhões de euros.
Comentários