Volatilidade anula ganhos de Wall Street

O ‘shutdown’ parcial do governo norte-americano, a incerteza em torno do desfecho das negociações comerciais entre os EUA e a China, assim como o arrefecimento da economia mundial continuam a influenciar os mercados.

Reuters

Continua a volatilidade em Wall Street. Depois de uma quarta-feira em que os três principais índices da bolsa de Nova Iorque registaram ganhos acentuados, a abertura da sessão desta quinta-feira ficou marcada pelas perdas.

shutddown parcial do governo norte-americano, a incerteza em torno do desfecho das negociações comerciais entre os EUA e a China, assim como o arrefecimento da economia mundial continuam a influenciar os mercados.

O S&P 500 está a desvalorizar 1,22%, para 2.437,68 pontos; o tecnológico Nasdaq perde 1,23%, para 6.185,67 pontos; e o industrial Dow Jones cede 1,09%, para 22.629,06 pontos. A abertura desta sessão contrasta, assim, com os ganhos registados no encerramento de quarta-feira, no qual o Dow Jones e o S&P 500 valorizaram mais de 6%, enquanto o Nasdaq subiu cerca de 5%.

O setor tecnológico, nomeadamente as FAANG, composto pelo Facebook, Amazon, Apple, Netflix e Google, segundo os analistas da Reuters, estão a negociar em terreno negativo, depois de terem ganho mais de 5% na quarta-feira. No caso da gigante do e-commerce, o contraste é assinalável, uma vez que ganhou mais de 9% ontem, e começou esta sessão a perder 1%.

Nas restantes tecnológicas, a Apple está a desvalorizar 1,2%, a Netflix perde 1,3%, a Alphabet (dona da Google) cede 1,8%, enquanto o Facebook perde 1%.

As perdas alastraram-se a outros mercados, nomeadamente no petróleo. Depois dos ganhos de quarta-feira, o Brent está a 1,93% em Londres, para 53,42 dólares, enquanto o West Texas Intermediate, nos Estados Unidos, perde 1,75%, para 45,41 dólares.

(atualizada)

Relacionadas

Bolsa portuguesa acorda em alta depois de recordes de Wall Street

O principal índice do bolsista português, PSI 20, ganha 0,76% para 4.675,29 pontos, em linha com a maioria das praças europeias. A Europa reflete os ganhos registados um dia após o Natal nos mercados norte-americano e asiático.

BCE antecipa agravamento dos défices na zona euro em 2019

Instituição presidida por Mario Draghi antecipa o abrandamento da economia mundial em 2019. Frankfurt prevê ainda que os défices orçamentais dos países da zona euro deverão aumentar nos próximos dois anos.

Depois da Revolut, Google obtém licença para competir com bancos na Europa

A gigante tecnológica conquistou uma licença na Lituânia, que lhe dá permissão para atuar como fintech no Espaço Económico Europeu.
Recomendadas

Topo da Agenda: o que não pode perder nos mercados e na economia esta quinta-feira

O Banco de Portugal divulga esta quinta-feira o Boletim Económico de outubro, A expectativa quanto a estas previsões é significante, especialmente depois da pressão do Presidente da República para que o Governo divulgasse as projeções macroeconómicas antes de anunciar o Orçamento do Estado para 2023.

Pimco dá primeiro passo para regresso dos investidores ao mercado de obrigações

A Pacific Investment Management Co (Pimco) considera que chegou a altura de começar a comprar obrigações, pois as “yields” estão em níveis que a gestora de ativos especializada no mercado de dívida classifica de atraentes, segundo a Bloomberg.

Wall Street fecha sessão no vermelho depois de dois dias consecutivos de ganhos

No fecho das operações na Bolsa de Nova Iorque, o Dow Jones perdia 42,45 pontos, para os 30.273,87, e o S&P 500 desceu 0,2%, ou 7,65 pontos, para 3.783,28.
Comentários