Volkswagen. EUA investigam outros fabricantes

A investigação da Agência de Proteção do Meio-Ambiente (EPA, na sigla em inglês) abrange pelo menos 28 modelos diesel de outras marcas: BMW, Chrysler, General Motors, Land Rover e Mercedes. A Agência quer determinar se os veículos incorporam um software, que tal como a Volkswagen, reduz as emissões dos veículos durante durante os testes para […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

A investigação da Agência de Proteção do Meio-Ambiente (EPA, na sigla em inglês) abrange pelo menos 28 modelos diesel de outras marcas: BMW, Chrysler, General Motors, Land Rover e Mercedes.

A Agência quer determinar se os veículos incorporam um software, que tal como a Volkswagen, reduz as emissões dos veículos durante durante os testes para cumprir com as normas ambientais.

As autoridades querem apurar se a Volkswagen é o único fabricante que aplica esta medida ou se uma prática mais abrangente no setor automóvel.

OJE

Recomendadas

“Ameaça russa” leva países nórdico-bálticos a reerguer defesas da Guerra Fria

A “ameaça russa” está a levar os países da região nórdico-báltica a reconstruir infraestruturas de defesa que tinham sido abandonadas com o fim da Guerra Fria, reconhecem analistas.

Antigo PM britânico David Cameron defende que países pobres desenvolvam energias fósseis

O antigo primeiro-ministro britânico David Cameron acusou hoje em Londres de “hipocrisia” a comunidade internacional por estar a pressionar países em desenvolvimento a não investir em combustíveis fósseis devido às alterações climáticas.

Tribunal russo proíbe movimento de protesto Vesná declarando-o extremista

Um tribunal russo declarou hoje como organização extremista o movimento Vesná (‘Primavera’), que organizou protestos em todo o país contra a mobilização parcial para combater na Ucrânia, decretada em setembro passado pelo Presidente Vladimir Putin.