Von der Leyen e Costa discutiram apoio à Ucrânia e oportunidades de comércio com MERCOSUL (com áudio)

“Foi um prazer estar com António Costa. Em antecipação do próximo Conselho Europeu discutimos a competitividade, as oportunidades de comércio entre a UE e o MERCOSUL, assim como o apoio à Ucrânia”, escreveu Ursula von der Leyen na rede social Twitter.

A presidente da Comissão Europeia anunciou hoje que discutiu com o primeiro-ministro português o apoio da União Europeia (UE) à Ucrânia e as oportunidades de comércio com o Mercado Comum do Sul (MERCOSUL).

“Foi um prazer estar com António Costa. Em antecipação do próximo Conselho Europeu discutimos a competitividade, as oportunidades de comércio entre a UE e o MERCOSUL, assim como o apoio à Ucrânia”, escreveu Ursula von der Leyen na rede social Twitter.

A presidente da Comissão Europeia acrescentou que durante o a reunião com o primeiro-ministro também abordaram a aplicação do plano de recuperação da União Europeia pós-pandemia (a apelidada ‘bazuca’ que está por detrás do financiamento do Plano de Recuperação e Resiliência de cada Estado-membro): “Crucial para Portugal, crucial também para a Europa como um todo.”

A publicação é acompanhada por um curto vídeo de um aperto de mão entre von der Leyen e Costa.

Este foi o primeiro encontro entre António Costa e von der Leyen este ano. O último foi durante a reunião do Conselho Europeu, em dezembro e, na altura, António Costa defendeu a extensão do mecanismo ibérico para controlar o preço do gás adquirido para a produção de eletricidade.

Contudo, não há informações de que Costa tenha abordado o assunto com a presidente da Comissão, apesar da deslocação a Bruxelas do ministro do Ambiente e da Ação Climática, Duarte Cordeiro, na quarta-feira, para pedir a prorrogação deste mecanismo, juntamente com a ministra espanhola da Transição Ecológica, Teresa Ribera, que tem a pasta da Energia.

No último Conselho Europeu, António Costa defendeu a renovação do mecanismo para Portugal e Espanha a partir de maio, que, advogou, “não tem distorcido o mercado e tem permitido às empresas portuguesas sediadas em Portugal e Espanha – e também à França, sempre que adquire energia da Península Ibérica – ter sempre preços francamente mais competitivos do que os que são praticados no mercado internacional”.

Na manhã de sexta-feira o primeiro-ministro vai reunir-se com a vice-presidente da Comissão e também comissária para a Competitividade, Margrethe Vestager, e depois com o comissário para o Mercado Interno, Thierry Breton. Assim como aconteceu hoje, não estão previstas declarações no final dos encontros.

Recomendadas

MNE japonês aponta ao homólogo chinês “grandes desafios” na relação bilateral

“As relações Japão-China enfrentam muitos desafios e inquietações. A opinião pública no Japão em relação à China piorou drasticamente”, descreveu Hayashi ao homólogo chinês, apontando a preocupação com as atividades militares “cada vez mais ativas” da China perto do território nipónico.

Hong Kong inicia segunda-feira maior julgamento ao abrigo da Lei da Segurança Nacional

As pessoas em julgamento representam um amplo espectro da oposição de Hong Kong, desde o proeminente advogado Benny Tai a antigos deputados eleitos como Claudia Mo, Au Nok-hin e Leung Kwok-hung, até jovens ativistas pró-democracia como Joshua Wong e Lester Shum.

Multimilionário indiano acusado de manipulação de ações nega laços políticos

O grupo Adani tem sete empresas cotadas em bolsa e muitas delas registaram hoje fortes quedas, entre as quais a Adani Enterprises e a Adania Total Gas.
Comentários