Votação sobre Jerusalém na ONU: Trump vai tomar nota de quem votar contra

Embaixadora dos Estados Unidos nas Nações Unidas confidenciou que Trump lhe pediu para anotar os nomes dos países que votarem contra a resolução proposta por Washington de reconhecer Jerusalém como capital de Israel.

Jonathan Ernst/REUTERS

Donald Trump já avisou que irá tomar nota dos países que amanhã votarem contra a decisão dos estados Unidos de reconhecerem Jerusalém como a capital de Israel e de transferir a embaixada norte-americana naquele país para essa cidade.

Quem revelou que o presidente norte-americano irá assumir este comportamento foi a embaixadora dos Estados Unidos nas Nações Unidas, Nikki Haley, confidenciando que Trump lhe pediu para anotar os nomes dos países que votarem contra a resolução proposta por Washington.

A posição de Trump foi explicada por Nikki Haley no Twitter: “Nas Nações Unidas, pedem-nos constantemente que façamos mais e que dêmos mais. Por isso, quando tomamos uma decisão, pela vontade dos americanos, sobre onde localizarmos a nossa embaixada, não esperamos que aqueles que ajudámos nos coloquem como alvo. Na quinta-feira, vai haver uma votação a criticar a nossa escolha. Os EUA vão apontar os nomes”.

A sessão especial de amanhã foi solicitada pelos países árabes, após o veto dos Estados Unidos, na segunda-feira, no Conselho de Segurança da ONU, de uma resolução que pretendia censurar a opção da administração norte-americana relativamente a Jerusalém.

O Conselho de Segurança da ONU é composto por 15 países-membros: desses 14, incluindo alguns aliados chegados dos EUA, pediam à administração norte-americana que voltasse atrás nesta sua decisão.

Apesar do isolamento, o veto dos Estados Unidos deixou tudo na mesma.

Daí, a iniciativa de convocar uma nova sessão especial, agora na assembleia geral das Nações Unidas, agendada para amanhã, onde se prevê uma forte oposição à decisão dos Estados Unidos, que aqui não podem recorrer ao veto.

A reação de Trump é a de anotar quem votar contra a posição dos Estados Unidos, não se sabe bem para quê.

Não se sabe que medida tem o presidente norte-americano para os países que se abstiverem nesta votação.

*com agências

 

Recomendadas

Rússia apoderou-se formalmente da central nuclear de Zaporijia

A central de Zaporijia, a maior central nuclear da Europa, está nas mãos das tropas russas desde o início de março.

Primeira-ministra dinamarquesa convoca eleições antecipadas para novembro

O Partido Social Liberal, uma das formações que dá maioria ao Governo social-democrata, tinha ameaçado Frederiksen com uma moção de censura se não convocasse eleições, após apresentar em junho um relatório crítico sobre a gestão feita pelo executivo em relação ao abate de milhões de visons, devido a uma mutação do coronavírus.

Prémio Nobel da Química para 3 cientistas responsáveis química ‘bioorthogonal’

O termo química ‘bioorthogonal’ refere-se a qualquer reação química que pode ocorrer dentro de sistemas vivos sem interferir nos processos bioquímicos nativos. O termo foi cunhado por Carolyn R. Bertozzi em 2003.
Comentários