Vote aqui na Personalidade de 2016

Brexit, geringonça, Trump, Euro 2016, China, carros eléctricos, presidenciais, ONU, Síria: a lista de temas que nos cativaram neste ano intenso é longa. Mas por trás das notícias estão sempre as pessoas, e o que queremos realmente saber é quem é que os nossos leitores vêem como a personalidade que mais marcou 2016.

Não fazemos distinção – nacional ou internacional, de esquerda ou de direita, atleta, diplomata ou empresário – a escolha é alargada e diversa.

Daqui a uns tempos, quando olhar para 2016 no retrovisor, que figura vai recordar?

Vote até quarta-feira, 28 de dezembro.

Vote na Personalidade de 2016

António Guterres – o diplomata globa27%, 2.091 Votos
Marcelo Rebelo de Sousa – o presidente dos afectos19%, 1.420 Votos
António Costa – o engenheiro da geringonça13%, 982 Votos
 Donald Trump – da ‘reality TV’ à Casa Branca12%, 879 Votos
 Cristiano Ronaldo – o homem das quatro bolas de ouro8%, 638 Votos
 Elon Musk – o dínamo da Tesla7%, 529 Votos
 Vladimir Putin – o ‘Grande’ poder da expansão russa6%, 432 Votos
 Angela Merkel – a líder da Europa numa era complexa5%, 404 Votos
 Catarina Martins – um ano no palco maior2%, 143 Votos
 Nigel Farage – o polémico ponta-de-lança do Brexit1%, 65 Votos
 Guo Guangchang – líder da Fosun, a lança chinesa em Portugal1%, 44 Votos
Total Votos: 7.627
Recomendadas

CMVM: “É notório o crescimento da divergência dos padrões de poupança das famílias portuguesas”

“A poupança de longo prazo exige disciplina e empenho além de, naturalmente, um nível de rendimento que permita poupar. Esta combinação de condições ajuda a explicar o baixo nível de poupança em Portugal e em outros países que nos são próximos”, reconhece Rui Pinto.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta terça-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta terça-feira.

Novobanco pesou 37,6% do dinheiro injetado pelo Estado na banca desde 2008 até 2021

A CGD beneficiou de 5.458 milhões de euros; o BES/Novobanco recebeu 8.291 milhões (valor do saldo negativo para o Estado); o BPN consumiu 6.146 milhões; o BPP beneficiou de 268 milhões e o Banif 2.978 milhões. Isto são as causas para o saldo desfavorável para o Estado que soma 22.049 milhões de euros.
Comentários