“Vou ser vacinada quando chegar a minha vez. Tenho 90 a 120 dias de imunidade”, diz Graça Freitas

A diretora geral de saúde referiu em conferência de imprensa que não faz parte de nenhum grupo prioritário ou de risco, mas assumiu que terá “todo o gosto em ser vacinada” contra a Covid-19.

Graça Freitas, diretora-geral da DGS | Tiago Petinga/Lusa

Graça Freitas mostrou-se tranquila sobre a altura em que irá receber a vacina contra a Covid-19. “Vou ser vacinada quando chegar a minha vez. Tenho entre 90 a 120 dias de imunidade que o vírus me transmitiu. Não faço parte de nenhum grupo prioritário ou de risco, mas terei todo o gosto em ser vacinada”, referiu em conferência de imprensa esta terça-feira, 22 de dezembro.

A diretora geral de saúde esteve em isolamento nos últimos 20 dias depois de ter contraído Covid-19, aproveitando este regresso para explicar como tudo aconteceu. “Tive muita sorte porque contraí a doença na Direção Geral de Saúde. Uma colaboradora nossa não sabia que estava infetada, mas descobriu no dia seguinte através da sua filha que estava infetada, e ela própria teve sintomas, rapidamente deu o alerta”.

Graça Freitas afirmou que durante este período teve sintomas ligeiros, sendo que nunca perdeu o paladar ou olfato. “O sintoma mais acentuado que tive foi tosse por volta nono e décimo dia e que levou a que não tivesse alta mais precocemente. O cansaço vai-se manter durante mais algum tempo, não é igual durante o dia, nem igual todos os dias. É importante que quem tem esta doença perceba que ela tem variações”, frisou.

Portugal conta com um total de 378.656 casos confirmados de Covid-19, mais 2.436 face ao dia anterior, revela o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) divulgado esta terça-feira, 22 de dezembro. O número de vítimas mortais do novo coronavírus no país aumentou para 6.254, registando-se mais 63 vítimas mortais nas últimas 24 horas.

A DGS revela que atualmente existem 195.957 casos registados no Norte (mais 1.047), 41.671 no Centro (mais 428), 122.074 em Lisboa e Vale do Tejo (mais 639), 6.661 no Algarve (mais 38), 1.594 casos na Região Autónoma dos Açores (mais 13), 1.294 na Região Autónoma da Madeira (mais 39) e 9.405 casos no Alentejo (mais 232).

Relacionadas

DGS esclarece que profissionais de saúde são prioritários para as primeiras vacinas

“Os profissionais de saúde que vão receber a vacina são profissionais na linha da frente, no atendimento de doentes urgentes, com maior exposição ao risco e os que trabalham com doentes mais vulneráveis”, esclareceu o diretor do Departamento da Qualidade na Saúde da DGS. 

Dados da nova estirpe de Covid-19 não mostram impacto na hospitalização e mortalidade, realça DGS

“Dados são ainda prematuros mas a variante tem uma alteração na proteína que parece aumentar a transmissibilidade do vírus de pessoa para pessoa. Os mesmos dados não mostram impacto na hospitalização ou da mortalidade das pessoas com Covid-19”, destacou Valter Fonseca, diretor do Departamento da Qualidade na Saúde da Direção-Geral da Saúde.

Portugal regista 2.436 infeções e 63 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas

As autoridades sanitárias contabilizaram mais 5.222 pessoas recuperadas nas últimas 24 horas, elevando para 304.825 o número total de pessoas livres do vírus.
Recomendadas

Apertem os cintos! Vamos agora aterrar em Santarém. Ouça o podcast “Maquiavel para Principiantes” de Rui Calafate

“Maquiavel para Principiantes”, o podcast semanal do JE da autoria do especialista em comunicação e cronista do “Jornal Económico”, Rui Calafate, pode ser ouvido em plataformas multimédia como Apple Podcasts e Spotify.

“Metade das pessoas que precisam de apoio psicológico não têm meios para o conseguir”, alerta bastonário da Ordem dos Psicólogos

Começa esta quarta-feira em Aveiro o quinto congresso da Ordem, evento que servirá também para reforçar bandeiras “antigas”, como por exemplo a questão do reforço no número de psicólogos no SNS, situação que a nova gestão executiva terá que priorizar se houver vontade política, de acordo com a opinião do bastonário em entrevista ao JE.

Pais com “maior dificuldade” em pagar as despesas escolares dos filhos, alerta Deco

Estudo da Deco Proteste revela que os pais estão com maior dificuldade em pagar as despesas escolares dos filhos este ano. Mais de metade dos agregados familiares afirmam estar com mais dificuldades em fazer face aos custos com a escola dos filhos. E 42% conseguem pagar a maioria das despesas, mas não todas. Já quase três em cada dez confessam ser impossível enfrentar alguns gastos.
Comentários