Wall Street abre com os três principais índices a afundar

Manhã cinzenta em Wall Street perante receios de recessão. O industrial Dow Jones recua mais de 200 pontos (0,7%) enquanto que o empresarial S&P 500 e o tecnológica Nasdaq desvalorizam 1,2% e 1,4%, respetivamente.

As ações da bolsa norte-americana abriram a sessão desta quinta-feira em queda, perante sinais da Fed de que a política de subida das taxas de juro é para manter.

O industrial Dow Jones caiu 245 pontos, a desvalorizar 0,7%. Já o empresarial S&P 500 recua 1,2% e o tecnológico Nasdaq não foge da tendência, a perder 1,4%.

O presidente da Reserva Federal de St. Louis, James Bullard, disse num discurso esta quinta-feira que “a política monetária não está ainda numa zona que possa ser considerada suficientemente restritiva”. Quer isto dizer que a Fed não tenciona abrandar a política de subida dos juros para combater a inflação, uma medida que os investidores encaram como um sinal de uma possível recessão.

“A mudança na posição da política monetária parece ter tido efeitos meramente limitados na inflação observada, mas os preços do mercado sugerem que podemos esperar desinflação em 2023”, acrescentou Bullard.

Também esta quinta-feira, o recém-empossado ministro das Finanças britânico, Jeremy Hunt, disse que o Reino Unido, como outros países, “está em recessão”.

As ações mais vulneráveis a uma recessão e a uma nova subida das taxas lideraram as perdas. Foi o caso de empresas do sector mineiro e de cruzeiros.

Recomendadas

Barril de petróleo russo limitado a 60 dólares após acordo entre G7 e Austrália

Após acordo alcançado pela União Europeia, os países do G7, juntamente com Austrália, concordam com um limite de preço de 60 dólares por barril para o petróleo russo. Moscovo repete que não aceita.

Redução da produção de petróleo? “Necessária e correta”, diz OPEP+

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo e os seus aliados (OPEP+) decidiu este domingo continuar a aplicar um corte na produção de petróleo em 2023, uma medida que defendeu ser “necessária e correta”.

PremiumMercados somam e seguem

Índices acionistas encerram em alta em novembro, somando segundo ganho mensal consecutivo.
Comentários